NOTA DA CONFERÊNCIA DOS INSTITUTOS RELIGIOSOS DE MOÇAMBIQUE (CIRMO) GRUPO DE PEMBA

NOTA DA CONFERÊNCIA DOS INSTITUTOS RELIGIOSOS DE MOÇAMBIQUE (CIRMO) GRUPO DE PEMBA,
EM RESPOSTA AO ARTIGO DO “JORNAL PÚBLICO”

Em virtude da reportagem do “Jornal Público”, edição do dia 04.11.2019, intitulado “Bispo semeia violência”, a Conferência dos Institutos Religiosos de Moçambique (CIRMO) Grupo da Diocese de Pemba, deseja em nome das religiosas e religiosos presentes nesta Diocese, manifestar nosso repúdio ao referido artigo e esclarecer:

Somos uma Igreja Missionária!
Na Igreja Católica somos formados para dimensão missionária. Estar a caminho é o desejo do Papa Francisco quando nos pede uma “Igreja em Saída”. A Vida Religiosa é chamada a ser esta presença em muitas partes do mundo. Somos convidados a colaborar na missão evangelizadora numa determinada Diocese. Nossas instituições religiosas aceitam o convite e do ponto de vista legal, recebem a autorização para entrarem no País.

Quem somos e quantos somos
Juntos às Religiosas, religiosos e padres nascidos neste país, somos na Diocese de Pemba, um grupo de mais de 100 missionários, de 22 países diferentes (religiosas, religiosos, padres, leigas e leigos).

A Diocese de Pemba tem se esforçado na formação dos novos padres (conta atualmente com 50 seminaristas). Várias Congregações femininas contam com muitas jovens moçambicanas, que vão assumindo a cada dia as responsabilidades nesta Diocese.

Em vista do atendimento às comunidades, cada Bispo, enquanto Pastor, movido de compaixão e vendo a necessidade da presença da Igreja em cada município/distrito/aldeia, procura assegurar a presença dos missionários e missionárias.

O que fazemos
Distribuídos nas quatro regiões pastorais da Diocese, moçambicanos e estrangeiros, com seus dons e carismas diferentes, contribuem no atendimento religioso e social desta parcela do povo de Deus presente na Província de Cabo Delgado.
Servimos ao povo em diversos setores: na área da saúde, educação, programas de geração de renda, formação técnica, acolhimento em abrigos, creches comunitárias, etc… Todos os missionários tem a missão de servir. Conhecemos de perto a realidade desta região e sofremos junto com o povo as dificuldades enfrentadas em cada comunidade.Desta forma desejamos afirmar:
Nossa regra de vida é amar o povo e respeitar sua cultura. Enquanto seguidoras e seguidores de Jesus de Nazaré, nos juntamos aos missionários moçambicanos com o desejo de que todas as pessoas “tenham vida e vida em abundância” ( Jo 10,10).

Fiéis ao Evangelho, à Doutrina Social da Igreja, exercemos nossa missão profética onde quer que estejamos. Comungamos com a orientação pastoral da Diocese de Pemba e com a Conferência Episcopal Moçambicana.
Caluniar Dom Luiz de preconceituoso, de desrespeitador da Constituição e semeador da violência, é desconhecer sua missão como Pastor desta Diocese. Para um padre ser convidado para o serviço episcopal necessita de uma vida coerente e exemplar. Se o Papa Francisco em 2014, convidou o Padre Luiz para esta missão é porque via nele os valores necessários para o exercício de Pastor deste rebanho.

A CIRMO em Moçambique é a organização eclesial que responde pelas religiosas e consagradas. No artigo publicado, o articulista, trata as irmãs como “supostas freiras… mulheres de capa de freira com atividades opostas a religião e envolvidas no negócio de exploração ilegal de minérios”…

Para receberem o visto de permanência, uma exigência do País com os religiosos e religiosas de outras nações, é apresentarem o Currículo Vitae e a declaração de antecedentes criminais. Nos arquivos do Serviço de Migração está o currículo de cada “suposta freira”. Se lá observarem verão como as instituições a quem pertencem, ofereceram a este País o que há de melhor em cada comunidade religiosa: psicólogas, pedagogas, assistentes sociais, teólogas, etc… e todas elas com um só pensamento: amar e servir.

O Governo Moçambicano vem trabalhando a questão de gênero e do empoderamento da mulher. Esta dimensão foi assumida pastoralmente pela Diocese de Pemba. Entendemos que a mulher numa sociedade tem a missão de ser protagonista nas ações sociais, políticas e eclesiais.

Desafiamos aos autores do artigo a provarem o que afirmam no texto. Visitem e conversem com as comunidades onde estão estas religiosas, na linguagem do texto, as “supostas freiras”, e lá encontrarão mulheres de oração, corajosas, destemidas, vestidas não com “capa de freira” mas com o avental do serviço.

A CIRMO formada pela Vida Religiosa dos que aqui nasceram e daqueles que aqui chegaram, não poderia deixar de apresentar esta nota; no entanto desejamos reafirmar que enquanto seguidoras e seguidores de Jesus, defendemos o diálogo ao invés da intolerância, o amor ao invés do ódio a unidade ao invés da divisão.

Rogamos a Deus que neste País seja portador da esperança de dias melhores e que as Palavras do Papa Francisco por ocasião da sua visita à Moçambique ajude-nos a caminharmos juntos.

Pemba 05 de novembro de 2019
CIRMO – Grupo de Pemba

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »