Curso de Missiologia e Animação Pastoral reflete sobre comunidade em missão

Teve início, nessa terça, dia 3 de fevereiro, no Centro Cultural Missionário (CCM) de Brasília (DF), o segundo módulo do 2º Curso de Extensão em Missiologia e Animação Pastoral. A formação reúne 29 participantes de todo Brasil e se estende até o dia 13.

A iniciativa é promovida pelo CCM em parceria com o Instituto Superior de Filosofia Berthier (IFIBE), de Passo Fundo (RS), instituição mantida pelos missionários da Sagrada Família da Província Brasil Meridional. A finalidade do curso é oferecer uma formação específica a leigos e leigas, religiosos e religiosas, diáconos e presbíteros engajados na animação missionária, particularmente os coordenadores e membros dos Conselhos Missionários Diocesanos (Comidi).

A formação de agentes que se dedicam à animação missionária é um fator básico para o desenvolvimento das atividades e para levar adiante um projeto de Igreja discípula-missionária na perspectiva do documento de Aparecida. Eles e elas são chamados a assumir um autêntico espírito missionário numa época em que essa dimensão é solicitada por todos os âmbitos eclesiais. Segundo a coordenação do curso é preciso capacitá-los para focar o debate sobre trilhos evangélicos apontando pistas de ação que mexam, antes de tudo, com uma renovada identidade eclesial.

O curso consta de três módulos, de dez dias cada um, ao longo de três anos. O tema da missão é tratado sob quatro enfoques: contextual, fundamental, pastoral e missionária. Cada uma dessas perspectivas tem três abordagens: o desafio cultural, religioso e social no mundo de hoje (ótica contextual: os sinais dos tempos); as dimensões bíblica, eclesiológica e teológica (ótica fundamental: teologia da missão); as mediações da catequese, da liturgia e da paróquia missionária (ótica pastoral: os caminhos da missão); os âmbitos da comunicação, do diálogo inter-religioso e da educação à mundialidade (ótica missionária: as fronteiras da missão).

No segundo módulo são contemplados os quatro enfoques interligados pelo tema geral da “comunidade em missão”: o panorama religioso no mundo de hoje; o desafio do diálogo ecumênico e inter-religioso; a dimensão missionária da liturgia; e perspectivas eclesiológicas para a missão hoje.

Esse último tema abriu a programação e contou com a assessoria do professor Sérgio Coutinho, e lembrou o Concílio Vaticano II, a 50 anos de seu encerramento. “Não se trata da comemoração de uma recorrência qualquer, nem tampouco e simplesmente da memória de um evento marcante, importante, sem dúvida, único na história”, afirma o secretário executivo do CCM, padre Estêvão Raschietti, SX. “O concílio foi o evento-chave no qual a Igreja redefiniu radicalmente seu compromisso essencial e profético diante do mundo de hoje, inaugurando uma época de transição de uma cristandade fechada e autocomplacente para uma Igreja mundial e missionária” concluiu o missiólogo. Uma das tarefas do curso de missiologia, segundo padre Estêvão, é indagar a onde se encontra a Igreja no Brasil nesta travessia, quais são os entraves e quais as perspectivas. Esse enfoque será tema também de outros eventos promovidos pelo CCM a exemplo do 4º Simpósio de Missiologia marcado para os dias 23 a 27 deste mês, que refletirá sobre os 50 anos do Decreto Ad Gentes do Vaticano II.

Com informações do CCM.

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »