Ir. Gelza, no céu, continue cuidando de nós, consagrados e consagradas!

Fez hoje, dia 5 de agosto, sua Páscoa definitiva, nossa querida Irmã Gelza Maria Freitas Ribeiro, das Irmãs Servas da Santíssima Trindade.

Assim testemunham suas Irmãs de Congregação:

“Ir. Gelza nasceu em Estrela Dalva (MG), em 1° de março de 1946, ano da fundação da Congregação. Entrou para a Congregação das Servas da Santíssima Trindade aos 15 anos.
Sempre empenhada em fazer o melhor, fez a formação e professou os votos ainda muito jovem. E muito jovem também assumiu a formação do noviciado, permanecendo como formadora por 18 anos.

Foi eleita conselheira geral por vários períodos intercalados.

Foi Coordenadora Geral por 2 períodos de 4 anos.

Neste momento estava como Conselheira Vice-Geral, cujo quadriênio finalizaria em janeiro próximo.

Fez parte da diretoria da CRB Nacional e da coordenação da USGCB.

Seu trabalho mais intenso foi na assessoria aos/as religiosos nas regionais da CRB, nas muitas congregações dentro e fora do Brasil, como também orientação de retiros.

Era tanta solicitação que, mesmo se desdobrando em muitas, não conseguia atender. Não conseguia olhar pra ela como precisava e, muitas vezes, extrapolava seus próprios limites. Seu coração não conhecia limites. Uma palavra que não sabia dizer era NÃO, o que chegava a nos preocupar como suas irmãs.

Ir. Gelza deixa um grande legado em nossa congregação e para a Vida Consagrada do Brasil.

No momento em que o nosso coração sangra de dor, é o que conseguimos testemunhar. Que na eternidade ela cuide de nós e de todos os religiosos e religiosas como um Anjo de Luz”.

CRB NACIONAL SE SOLIDARIZA

A CRB Nacional, sensibilizada com a partida da Ir. Gelza para o seio da Trindade, ouvindo o testemunho das Irmãs de sua Congregação, faz uma grande ação de graças pela vida desta Irmã, doada generosamente. Pensar em Ir. Gelza  faz recordar o que diz o Papa Francisco, na Fratelli Tutti: “se consigo ajudar uma só pessoa a viver melhor, isto já justifica o dom da minha vida. É maravilhoso ser fiel a Deus. E ganhamos plenitude quando derrubamos os muros e o coração se enche de rostos e de nomes!” Assim viveu Ir. Gelza e, tenham certeza, queridas Irmãs, que, como diz o Papa Francisco:

“não se perde nenhuma das obras feitas com amor,

não se perde nenhuma das preocupações sinceras com os outros,

não se perde nenhum ato de amor a Deus,

não se perde nenhuma das generosas fadigas…

Tudo isso circula pelo mundo como uma força de vida”.

Pela vida de Ir. Gelza, glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo,

agora e sempre!

Posts relacionados