“O drama dos imigrantes é “êxodo terrificante”, diz cardeal Bagnasco

Gênova (RV) – O fenômeno da imigração é “um problema humanitário” do qual nenhum Estado europeu pode das às costas. Essa é a afirmação do Cardeal Angelo Bagnasco, que durante o final de semana esteve em Gênova, no norte da Itália, para a tradicional festa mariana no Santuário Nossa Senhora da Guarda. Entre os temas tocados pelo Presidente dos bispos italianos, também a família e as uniões civis.

“Finalmente. Um pouco tarde”, mas “um bom sinal” que “acolhemos com muita esperança”. É um alívio levemente crítico aquele do Cardeal Bagnasco quando soube da notícia que o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, decidiu dar prioridade ao tema da imigração no encontro de fim de setembro em Nova Iorque. O arcebispo de Gênova também apreciou a abertura da chanceler alemã, Angela Merkel, em relação ao drama das massas de imigrantes em movimento para a Europa, definidas por Bagnasco como um “êxodo terrificante” do qual “nenhum Estado europeu se pode sentir isento”.

Sobre o reconhecimento das uniões de fato, o purpurado lembra que os “direitos individuais” são “na maior parte reconhecidos”. E vai em defesa da família, reiterando que “a posição da Igreja não é contra ninguém” e “acredita na família como a Constituição reconhece: um pai, uma mãe, as crianças em um pacto conjugal de amor baseado no matrimônio”. O cardeal acrescenta que é “a base da sociedade, do viver junto porque é o seio da vida” no qual as crianças naturalmente nascem, já que os filhos “são gerados” e “não produzidos”. (AC)

Fonte: Radiovaticano

 

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »