Arquidiocese de São Paulo faz memória da Beata Assunta Marchetti no dia 1º

No dia 1º de julho, a Arquidiocese de São Paulo celebrará pela primeira vez a memória litúrgica da Bem-aventurada Assunta Marchetti, que foi beatificada em 25 de outubro de 2015.

A celebração solene presidida pelo arcebispo metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, acontecerá na Paróquia São Carlos Borromeu, na Vila Prudente, Região Episcopal Belém, onde a religiosa italiana viveu cerca de 30 anos. Madre Assunta é co-fundadora da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu (Scalabrinianas).

A missa também marcará o início das comemorações dos 50 anos da Paróquia.

História
Assunta Marchetti nasceu em Lombrici – Camaiore, Itália, em 15/8/1871 e faleceu em São Paulo junto aos órfãos do Orfanato Cristóvão Colombo (atualmente chamado Associação Educadora e Beneficente Casa Madre Assunta Marchetti), no dia 1/7/1948, no bairro de Vila Prudente.

A religiosa chegou ao Brasil com suas companheiras em 27/10/1895 e teve uma vida de Fé, esperança e caridade radical. Amou intensamente o próximo e especialmente, as suas irmãs de Congregação, dedicando-se de modo preferencial aos migrantes, aos órfãos, aos doentes, aos sofredores e aos pobres que precisavam de ajuda.

Em 25 de outubro de 2014, Madre Assunta foi beatificada na Catedral da Sé – SP, em missa presidida pelo Cardeal de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer.  O prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, Cardeal Angelo Amato, enviado do Papa Francisco foi o presidente do rito de Beatificação da religiosa. Também participaram da celebração peregrinos de várias cidades brasileiras e delegações da Itália, Estados Unidos, Filipinas e diversos países da América Latina, onde atuam as missionárias Scalabrinianas.

Fonte: Arquidiocese de São Paulo

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »