Missionários de 13 países participam do 112º Curso de iniciação à missão, em Brasília

Por Assessoria de Imprensa| 23.09.14| Teve início no último dia 14 de setembro, a edição 112 do Curso de Iniciação à Missão no Brasil promovido pelo Centro de Formação Intercultural (Cenfi) e organizado pelo Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF). O curso tem a duração de três meses e é oferecido aos missionários e missionárias recém-chegados do exterior, enviados por congregações, dioceses, entidades ou organizações, para a missão no Brasil.

A 112ª edição do curso do Cenfi conta com a participação de 22 missionárias e missionários vindos de 13 países: Indonésia, Índia, Coreia do Sul, Vietnã, Chade, República Democrática do Congo, Haiti, Colômbia, Equador, Argentina, Chile, México e Polônia.

A programação contempla quatro propostas integradas, quais sejam: ensino sistemático da língua portuguesa; estágio em casas de famílias; introdução à sociedade e à Igreja no Brasil; uma vida em comum que proporciona intenso intercâmbio entre os participantes, vindos de diferentes países, culturas e igrejas, e uma adaptação à vida no Brasil através de relações fraternas.

O secretário executivo do CCM, padre Estêvão Raschietti, explica como isso acontece na prática. “O curso do Cenfi é um tempo muito especial que o missionário deve reservar para si: aprender a língua portuguesa, para conhecer os costumes e as aspirações do povo brasileiro; despojar-se de sua cultura sem arrancá-la; rever suas visões de mundo, para melhor se colocar diante dos novos apelos; realizar um verdadeiro mergulho na nova cultura carregando os valores de sua própria cultura como bagagem para enriquecer o outro”, comenta Raschietti.

Uma característica importante do Cenfi é a sua metodologia de ensino e trabalho. Isso pode ser observado nas avaliações conforme explica o padre Estêvão. “A avaliação é realizada durante todo o curso, isto é, o missionário estará sendo sempre avaliado por meio de atividades sugeridas pelas professoras e pela coordenação. Estas atividades consistem em dinâmicas em grupo, avaliações individuais (exercícios), serviços comunitários e projetos elaborados pelos missionários”, sublinha.

A eficácia da formação é testada também nos estágios que os missionários fazem em casas de famílias. “O objetivo é proporcionar o amadurecimento humano e missionário. O acolhimento faz parte integrante da vida do nosso povo. Ouvir o povo, se relacionar com simplicidade, discernir o tipo de relacionamento entre as pessoas é uma experiência significativa na pedagogia da encarnação”, completa o secretário.

Padre Estêvão acrescenta ainda, que “a Igreja no Brasil deve se sentir profundamente grata a esses missionários pelo seu testemunho de entrega total e generosa à causa do Reino. Por isso, deseja de alguma forma colaborar com sua inserção no meio de nós, através desse serviço oferecido pelo Centro Cultural Missionário”.

O curso acontece desde 1960 e calcula-se que tenha sido frequentado por cerca de 4.000 missionários e missionárias de todo o mundo.

Conheça todos os cursos oferecidos pelo CCM.

Com informações do CCM. 

Posts relacionados

Dehonianos em festa!

honianos Hoje, 12 de agosto, celebramos o falecimento de Padre João Leão Dehon (1843 – 1925), Fundador da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de

Leia mais »

O túmulo de um bispo

Aqui foi enterrado um santo profeta, que, até na morte, continua profetizando. Pedro Casaldáliga, “Anjo” da Igreja de São Félix do Araguaia. Santo Súbito! Do

Leia mais »