Encontro Internacional para criação de Rede Eclesial Pan-Amazônica reúne autoridades católicas em Brasília na próxima semana.

Por Rosinha Martins| 04.08.14| Brasilia sediará na próxima semana um Encontro Internacional  para criação de uma Rede Eclesial Pan-Amazônica.

O evento, que acontecerá na sede das Pontifícias Obras Missionárias, de 9 a 12 de setembro, pretende reunir 60 representantes de Instituições afins, entre elas, Pontifício Conselho Justiça e Paz, do Vaticano, Conferência Episcopal Latinoamericana, Confederação Lationamericana e Caribenha de Religiosos e Religiosas, Pastoral Social do Equador, Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil, Cáritas espanhola, Catholic Agency For Overseas Development (CAFOD) da Inglaterra, dentre outros.

O bioma amazônico, com a sua exuberante  biodiversidade,  sempre foi assunto de pauta da Igreja, como também do Estado. Alvo de explorações contínuas pelas suas riquezas naturais e, também, as demandas cotidianas  da missão  tem desafiado os missionários e missionárias  presentes neste território a uma força-tarefa, o que  gerou a ideia da criação de uma Rede  para maior eficácia no trabalho missionário  em vista da conservação do meio ambiente e da cultura dos povos nativos.

De acordo com a organização, um dos principais objetivos deste encontro é, a partir das experiências feitas até então, definir objetivos fundamentais, estratégias e metas em vista da consolidação  da Rede Eclesial Pan-Amazônica.

Especialista no Brasil em História da Igreja na Amazônia, o padre Raymundo Possedônio, que participará como assessor do encontro, em entrevista  à Radio Vaticano esta semana, lembrou que a atuação de missionário na região Amazônica no Brasil é datada do séc. XVII.

“Aqui apareceram ordens religiosas como franciscanos, jesuítas, mercedários e carmelitas, que fizeram um trabalho extraordinário dadas às circunstâncias da época, o contexto da distância, da precariedade do trabalho”, afirmou.

Um segundo ciclo missionário veio a partir da metade do século XIX, com a retomada da ação da Igreja, feita principalmente por Roma. “Antes, a realidade eclesial era de certa forma dominada pelo sistema do Padroado, a Igreja não tinha muita liberdade e a Igreja se submetia aos ditames do Padroado. Isto durou aqui na Amazônia até a República, até o final do século XIX”, relatou.

Já o terceiro clico, o mais atual, “começou por volta de 1950, já com outra perspectiva eclesial e eclesiológica. “Além das preocupações com a cultura moderna, com as ideologias que começaram a grassar de forma forte, sobretudo através da política ou dos meios de comunicação, através das academias universitárias, escolas. O ensino era positivista… e a Igreja foi buscando uma maior aproximação do próprio povo, das bases mais populares, através da CNBB, que foi implantada, da colegialidade dos bispos, etc.”, concluiu.

O Encontro é uma organização da  Igreja Católica presente na Pan-Amazônia, o Pontifício Conselho justiça e Paz, o Departamento de Justiça e Solidariedade (DEJUSOL – CELAM), a Comissão Episcopal para a Amazônia, da CNBB, o Secretariado Latino-americano e do Caribe da Caritas (SELACC) e a Conferência Latino-americana e Caribenha dos Religiosos(as) (CLAR).

Leia também:

Encontro Pan-Amazônico reflete sobre os desafios da missão e cria Rede Eclesial

Informações:

Irmã Irene.E-mail: amazonia@cnbb.org.br./PadreSidney.Email: missaocontinental@cnbb.org.br/Assessoria de Comunicação do evento: Irmã Rosa Maria (061)32265540/ 84240242/ e-mail: comunicacao@crbnacional.org.br

 

SDS Bloco H - nº 26 - Sala 507 - Edfício Venâncio II

CEP: 70393-000 - Brasília - DF - Brasil (061) 32265540 - Fax: (061) 3225 3409 crb@crbnacional.org.br

2018 - CRB Nacional.org.br

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?