Rede Igrejas e Mineração

Padre Dario Bossi, mcci

Está começando em Bogotá o terceiro encontro da rede “Igrejas e Mineração”. No programa, testemunhos de comunidades vítimas de atividades extrativas, a análise de causas e consequências dos conflitos minerários na América Latina, aspectos da ecoteologia, causas e estratégias no cuidado e defesa da casa comum.

Rede Igrejas e Mineração: que é

A Rede ‘Igrejas e Mineração’ é um espaço ecumênico formado por comunidades cristãs da América Latina, equipes pastorais, congregações religiosas, grupos de reflexão teológica, leigas, leigos, bispos e pastores que buscam responder aos desafios dos impactos e violações dos direitos socioambientais provocados pelas atividades minerárias nos territórios.

Desde seu nascimento, em 2013, a Rede tem trabalhado para empoderar as Comunidades afetadas pela mineração; aprofundar e divulgar uma teologia e espiritualidade ecológica; comunicar as violações provocadas pela mega-mineração, a resistência das comunidades afetadas, assim como suas propostas e alternativas orientadas ao bem viver; dialogar com as Igrejas, em todos seus níveis hierárquicos, para incidir nas suas ações em defesa das comunidades e territórios afetados pela mineração.

No centro de espiritualidade “Francisco Palau”, no bairro da Soleda, o evento terá a participação de ao menos 45 representantes, provenientes de 12 países. Conosco, Padre Dario Bossi, comboniano e missionário na Amazônia, um dos fundadores da Rede.

Padre Dario Bossi, impulsionador da Rede, comboniano, missionário italiano na Amazônia, fala sobre o Encontro:

“O III Encontro será uma sequência de outros eventos importantes que reuniram as comunidades latino-americanas. Junto com a REPAM, Rede Eclesial Pan-amazônica, a Rede ‘Igrejas e Mineração’ se propõe a posicionar a Igreja frente aos grandes conflitos que ameaçam o meio ambiente e a vida das comunidades”.

O programa do encontro

“Em Bogotá, 2 dias serão dedicados à visita às comunidades no campo, que estão ameaçadas pela mineração de ouro e de carvão. Um dia, haverá reuniões institucionais com o Departamento Justiça e Solidariedade do CELAM; outros 2 dias teremos estudo, global e coletivo, e organização da Rede”.

“Nosso objetivo é analisar a conjuntura latino-americana, fazer uma reflexão aprofundada sobre a eco-teologia e as motivações que alimentam a nossa mística, a nossa espiritualidade; o compromisso ao lado das comunidades afetadas pela mineração e também dar uma estrutura a médio prazo e uma identidade à Rede ‘Igrejas e Mineração'”.

Extrativismo, impacto e ameaça às comunidades

“Sabemos que o extrativismo na América Latina está sendo a única solução à crise econômica e isto ameaça muito as comunidades; sabemos que a crise de democracia de muitos países latino-americanos está dando ainda mais poder às corporações internacionais e isto está provocando ainda mais impacto e uma maior criminalização das lideranças”.

“Por outro lado, a Encíclica Laudato si e a fragilidade do planeta nos impõem buscar novos rumos, proteger a vida, as comunidades e os territórios em nosso continente”.

Em sintonia com o Dia de Oração convocado pelo Papa

“O dia 1º de setembro foi declarado pelo Papa Francisco como Dia Mundial de Oração pelo cuidado da Casa Comum. E nós, em paralelo estaremos, como Igrejas, reunidas para debater e fortalecer a nossa solidariedade, ao lado das comunidades afetadas pela mineração. Celebraremos a vida e a esperança. Podemos dizer que a Igreja tem a missão e a força para promover um novo jeito de viver em harmonia com a Criação”.

Fonte: www.news.va/pt

Posts relacionados