NOTA DE REPÚDIO

A Congregação da Paixão de Jesus Cristo, Província da Exaltação da Santa Cruz (BA – MG – ES – GO – AC), vem a público repudiar veementemente a Exposição, dita ‘artística’ pelos seus organizadores, intitulada Queermuseu (Museu Transviado) e patrocinada pelo Ministério da Cultura do Governo Federal e pelo Banco Santander, usando o dinheiro da lei Rouanet (nossos impostos).

A referida Exposição, aberta no dia 14 de agosto e prevista para ser encerrada no dia 08 de outubro, acabou sendo suspensa no dia 11 de setembro, devido aos protestos de milhares de pessoas nas redes sociais. Promovida como exposição ‘cultural’ sobre o tema diversidade sexual (Tema LGBT), foram expostas 270 obras e instalações, assinadas por 85 artistas LGBT.

O que nos preocupa, e é motivo dessa nota:

● A temática da exposição deveria ser a ‘diversidade’, mas o que se vê são imagens promovendo: – práticas como a pedofilia e a zoofilia,

– escárnio de símbolos cristãos com imagens que profanam a figura de Jesus e a fé cristã.

● A exposição, promovida como ‘arte’, na realidade está pervertendo o conceito de arte para empurrar de forma totalitária a cultura LGBTS.

● O MEC anda promovendo literaturas que incentivam crianças e adolescentes à iniciação sexual. Isso nos preocupa, pois existe uma pedagogia da educação sexual que anda a braços com a pedofilia.

● A exposição agrediu a Fé Cristã de todo Povo Brasileiro ao expor nossos símbolos de forma propositalmente pejorativa, imoral, iníqua, escarnecedora e vexatória, especificamente Jesus Cristo, a Virgem Maria e também partículas não consagradas nas quais estavam escritos nomes de órgãos sexuais masculinos e femininos. Além disso, a tal exposição fez apologia à pedofilia e à zoofilia (coito sexual com animais).

● A exposição viola os princípios constitucionais: apologia à zoofilia, pedofilia e ultraje ao culto religioso. Zomba da fé sob a capa de ‘conteúdo artístico’. Isso é crime (Art. 208 do Código Penal).

● O projeto ‘cultural’ recebeu quase um milhão de reais pela Lei de Incentivo à Cultura, tendo apoio do Ministério da Cultura e Governo Federal. O Estado está promovendo ódio muito bem especificado à religião cristã e atacando nossas crianças.

Entendemos que o direito à livre expressão é um direto humano fundamental e sempre o defenderemos, desde que isso não signifique ridicularizar e violentar a identidade do outro, sua moral e sua dignidade.

Queremos ainda denunciar nesta nota aqueles que apoiaram tal Evento de forma direta e indiscriminada: o Ministério da Cultura e o Banco Santander. Reafirmamos que nem o primeiro nem o segundo tem o direito de nos afrontar dessa forma, a nós que somos herdeiros de uma tradição bimilenar e que ajudamos em muitos aspectos na construção desse país, como até hoje testemunham nossas Instituições de Caridade.

Lamentamos muito o ocorrido e queremos aqui expressar a nossa mais radical indignação, deixando claro que também todos os envolvidos no ato citado violaram o artigo 208 do Código Penal na sessão intitulada ‘“Dos Crimes contra o Sentimento Religioso”, que diz: escarnecer de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa e vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso.

E violaram também o Estatuto da Criança e do Adolescente, artigo 240 que diz: produzir por qualquer meio cena pornográfica que envolva criança ou adolescente.

Que Deus perdoe os agressores por tamanha blasfêmia, sacrilégio e vilipendio e nos perdoe pelo nosso comodismo e omissão quando nossos valores são brutalmente atacados pela Sociedade Secularizada.

Belo Horizonte, 18 de setembro de 2017.

Pe. Giovanni Cipriani, CP.

Superior Provincial

e Conselho Provincial

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »