Ir. Ângela Tutas, Congregação Reconstrutoras da Oração, faleceu por Covid-19

Faleceu no final da manhã de quarta-feira, 06 de maio, em Belém (PA), Irmã Maria Rodica Tutas (Ir. Ângela), 52 anos, missionária no Brasil desde março de 2004. Nascida em Satu-Mare (Romênia), no dia 08 de abril de 1968, recebeu o nome de “Ângela” em sua profissão monástica. Ela era formada em Ciências das Religiões, mestra em Teologia Patrística, doutora em Ciências Eclesiásticas pelo Pontifício Instituto Oriental de Roma e pós-doutora em Arte Sacra pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), de Belo Horizonte (MG).

A religiosa estava internada no Hospital Saúde da Mulher desde meados de abril, acometida  pela Covid-19. A pedido da família, seu corpo será cremado nesta quinta-feira, 07, e posteriormente suas cinzas serão enviadas para sua terra natal.

História – Irmã Ângela pertenceu à Congregação Reconstrutores da Oração. Após um ano sabático no Mosteiro Santa Maria de Pomposa, na Itália, foi convidada por um padre para fazer uma experiência missionária no Brasil. Sobre este momento, Irmã Ângela contou em entrevista ao Programa Vida Consagrada, da Rede Nazaré de Televisão, em junho de 2012, que ficou surpresa e grata pela oportunidade. “Vocês não podem imaginar o que uma pessoa pode sentir diante de um convite destes, nunca imaginei sair do meu país, depois da Itália, e agora sair da Europa para outro continente? Lembro quando viajei para cá, sozinha, e o avião ia passando por muito tempo em cima das águas, ficava olhando e me perguntando o porquê de terem me mandado para cá”, explicou entre risos. Ela ainda contou nesta entrevista, que pode ser conferida na íntegra aqui, que o objetivo principal de sua vinda, “era o de trabalhar na formação e assumir cursos na formação presbiteral”.

Desde então, a monja deixou a congregação para permanecer na Arquidiocese de Belém, como missionária. Em setembro de 2007 voltou à Roma para o doutorado, retornando à capital paraense em 2010.

Foi ainda professora no Instituto Regional de Formação Presbiteral da CNBB Regional Norte 2, no Instituto Dom Vicente Zico e no Colégio Santa Rosa. Escreveu diversos livros, entre eles: “O Sacerdócio de São João Crisóstomo: uma luz para a vida presbiteral” (2010), “Meditação Cristã: um caminho de sabedoria” (2012) e, “O Perfil da Paróquia da Santíssima Trindade: 200 anos de história” (2014). Teve também passagem pela Edições CNBB, em Brasília, onde foi redatora do subsídio “Igreja em Oração – Nossa Missa dia-a-dia”, no ano de 2015. Também na capital brasileira, a monja lecionou no Instituto São Boaventura, na Faculdade de Teologia da Arquidiocese de Brasília e no Seminário Redemptoris Mater, entre 2015 e 2018.

Atualmente, ela era professora da Faculdade Católica de Belém e no Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater, do Caminho Neocatecumenal.

Manifestações – A Arquidiocese de Belém lançou comunicado logo no início da tarde desta quarta-feira, 06. Diz a nota: “A Arquidiocese de Belém do Pará comunica com pesar o falecimento do da Irmã Maria Rodica Tutas, conhecida como Irmã Ângela Tutas, na manhã de hoje (06) de maio, em decorrência da covid-19, no Hospital Saúde da Mulher”. Confira o comunicado na íntegra aqui.

A Faculdade Católica de Belém também lançou nota de pesar que destaca a religiosa como “amante da busca do conhecimento de Deus, do seu amor”, e afirma que “parece ter sido pedido a ela aprofundar esse conhecimento pelo sofrimento que se torna redentor”.

A Edições CNBB também se manifestou em comunicado por meio de arte digital. A editora pontuou a experiência profissional e a colaboração da religiosa na conferência episcopal.

Fonte: Arquidiocese de Belém

Posts relacionados