Entrevista com padre Juarez Destro sobre o filme ‘Despertar para sonhar’

Por Rosinha Martins|30.07.2015| “Despertar para sonhar” é o nome do novo filme que o Instituto de Pastoral Vocacional oferece aos animadores e animadoras vocacionais da Vida Consagrada e da Igreja em geral .

O filme será lançado, nesta quinta, 30, nas Edições Paulinas, sito à Rua Domingos de Morais, Vila Mariana –  SP, a partir das 19h.

Em entrevista à Assessoria de Comunicação da CRB Nacional, o diretor presidente do Instituto de Pastoral Vocacional (IPV), o rogacionista padre Juarez Destro, falou sobre o projeto do filme e as expectativas em relação ao mesmo.

Por que o tema: Despertar para sonhar?

Padre Juarez –  Trata-se de uma provocação, que poderia ser escrita com um hífen, pro-vocação, destacando a palavra “vocação”. Aliás, o título do filme possui um complemento: “Despertar para sonhar, o chamado que Deus faz a cada um”. Percebemos que estamos “dormindo” ou muito sonolentos. Na Evangelli Gaudium o papa Francisco nos alerta para não cairmos em algumas tentações, dentre as quais a “psicologia do túmulo”, que pouco a pouco nos transforma “em múmias de museu”. O desalento, o desânimo, o cansaço, a ilusão, enfim, as “escuridões” atuais “corroem o dinamismo apostólico”. O título deseja alertar para que não nos “roubem a alegria da evangelização” (EG, 83), para que não fiquemos dormindo eternamente. Ao contrário, precisamos acordar e buscar realizar os nossos sonhos por um mundo de justiça, paz, vida. Deus nos chama para esta missão específica, de transformar as “escuridões” em “luzes”, de sermos operários e operárias na messe, construindo um mundo melhor.

Qual o objetivo do filme. O que vocês pretendem?

Padre Juarez – “De tanto sonhar, um dia despertamos para realizar nossos sonhos”, afirma um dos jovens no final do filme. Este é, sem dúvidas, um dos objetivos: acordar a juventude para que seja protagonista das mudanças, para um novo mundo. Há um resgate, no decorrer da trama, de uma fala do Papa Francisco no Rio de Janeiro aos jovens, onde pede que sejam os condutores do trem, e não meros passageiros, que joguem no ataque e façam gols, e não somente na defesa. Linguagem simbólica, mas rica de significados. Queremos que os animadores vocacionais tenham um subsídio valioso para o seu trabalho de despertar vocações à vida, levando os vocacionados a assumir, com coragem, seu matrimônio, sua consagração, seu ministério ordenado, sua missão.

Como nasceu a ideia de se fazer um filme com esta temática?

Padre Juarez – A ideia nasceu algum tempo depois do lançamento do terceiro filme vocacional do IPV, “Caminhos Abertos”, em meados de 2002. O enfoque deveria ser missionário, pois os três primeiros já abordavam os temas gerais da vocação, desde o despertar para a vida (“Além das Ilusões”, 1994), passando pelo discernimento de vocações específicas (“Agora a decisão é tua”, 1999) e a variedade de vocações na sociedade e no mundo (“Caminhos Abertos”, 2001). Em outubro do ano passado a atual diretoria do IPV, eleita em agosto de 2014, resolveu tirar a ideia do papel e buscar as parcerias para concretizar o “sonho” do quarto filme. O contexto eclesial, talvez mais do que em 2002, está favorável para se tratar o tema da missão. Basta citar, por exemplo, a realização da Conferência de Aparecida e a temática do discipulado missionário, a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro com o papa Francisco e seu apelo para “ir, sem medo, para servir”, a Evangelii Gaudium

A quem se destina o filme?

Padre Juarez – O filme foi pensado para atingir as juventudes, mas arrisco-me a afirmar que também os próprios animadores vocacionais. Aliás, antes de projetar e trabalhar o filme com os jovens de nossas escolas, institutos socioeducativos, paróquias, o educador ou catequista deve assistir ao menos duas vezes o filme, procurando – ele mesmo – responder as várias questões apresentadas na ficção. O papel ou a missão do animador vocacional/educador/catequista é ajudar o outro a discernir sua vocação, levando-o a olhar mais para o próximo do que para si mesmo, estar a serviço permanente, na gratuidade. Se os jovens perceberem esta atitude no próprio educador, o testemunho vai transformando e ensinando mais do que palavras ou imagens projetadas. Portanto, o filme deseja provocar os jovens e os próprios animadores das juventudes…

Padre Juarez –  Comumente as pessoas dormem para sonhar, pois se entende que o sonho só acontece durante o sono.  Por que ‘Despertar para sonhar’?

Será verdade que somente quem dorme é capaz de sonhar? O verbo “sonhar”, na verdade, tem duplo sentido (ou até mais). O primeiro, claro, é o sonho de quem, de fato, dorme. Neste caso, enquanto não acordamos, os sonhos nunca poderão se tornar realidade. Mas, “sonhar” também pode significar uma meta, um objetivo pensado ou planejado que, enquanto se está no processo, enquanto não estiver realizado, é tido como sonho. Uma dinâmica interessante, um jogo de palavras, significados diversos. Ao acordar, haverá a possibilidade de realizar o que se sonhou, mesmo que seja algo difícil. Despertar para sonhar é mais que um título provocativo, é o movimento da vida, que começa com o chamado de Deus e continua com a nossa resposta a esta convocação.

Como foi a experiência de produzir um filme?

Padre Juarez – Acompanhar a produção do filme, desde as primeiras reuniões onde se analisou um possível roteiro até a embalagem final, incluindo o DVD e o guia pedagógico, foi uma experiência gratificante e que enriquece o ministério de qualquer pessoa. Confesso que não é tarefa fácil, exige recursos humanos, técnicos e financeiros. O resultado final deve ser comemorado. Acima de tudo está a graça de Deus que ilumina as pessoas e os carismas das instituições que estão por detrás do projeto. O IPV é formado por nove institutos religiosos que têm por carisma o serviço de animação vocacional. As Paulinas, parceira de produção, tem o belo e importante carisma da comunicação… Uma união que sempre deu certo, uma comunhão de carismas, um projeto intercongregacional a serviço da Igreja e da evangelização.

Como foi escolhido o elenco? Quem são eles?

Padre Juarez – As Paulinas, com sua experiência na área da comunicação, ficou com esta parte. São, ao todo, 12 atores e 12 profissionais nas diferentes atividades que exige a produção de um filme. O IPV ofereceu o argumento e acompanhou de muito perto o roteiro. As filmagens foram basicamente feitas em lugares próximos a São Paulo. Os principais personagens são Lucas Ramos (Renato), Airyn Vishnevsky (Lucimara), Fernando Cursino (João) e Rogério Pércore (padre Daniel).

Quais os maiores desafios que vocês encontraram na produção?

Padre Juarez – A pergunta seria melhor respondida pela coordenadora do projeto, Irmã Elide Pulita, e pelo diretor, Osmar Koxne. Arrisco-me a dizer que o desafio maior foi o prazo de conclusão do filme, pois a meta era ter o material em julho, véspera do mês vocacional. Tivemos que sacrificar o período de férias (meados de dezembro e janeiro) para as reuniões e os planejamentos, além de escolha dos lugares para as gravações e a definição do elenco e demais profissionais. As gravações começaram no início de março. No último dia de maio, um domingo, estávamos analisando o filme, ainda sem a trilha sonora. E chegamos ao 30 de julho, com a meta alcançada!

Como adquirir o filme?

O filme está disponível em toda a rede Paulinas de Livrarias (www.paulinas.com.br – 0800 70 100 81) e também pelo site do IPV (www.ipv.org.br).

Quais são as próximas novidades do Instituto de Pastoral Vocacional?

Padre Juarez –  Em breve será lançado o Diário Vocacional 2016, com o tema “sal da terra e luz do mundo”. Queremos aprofundar a missão dos cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade. Além disso, continuamos oferecendo encontros formativos aos animadores vocacionais. Serão dois até o final deste ano: um curso de “Design Gráfico Vocacional”, de 21 a 23 de agosto, no Rio de Janeiro (RJ); e um encontro para animadores vocacionais sobre “Afetividade na Vida Consagrada e na Igreja, relações, limites e horizontes”, de 09 a 11 de outubro, em São Roque (SP). Em janeiro de 2016 temos a já conhecida “Escola de Preparação para Animadores e Animadoras Vocacionais”, de 02 a 13, também em São Roque. Mais informações e inscrições: www.ipv.org.br (Fonte: CRB Nacional)

Assista o trailler

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »