Entrevista com Pe. Daniel Rocchetti – Dia Mundial das Missões (18 de outubro)

Conversamos, com Pe. Daniel Rocchetti SAC, Palotino e Missiólogo, assessor da Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB.

CRB- Padre Daniel, em que consiste esta assessoria?

PE. DANIEL R. – A Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB ajuda a Igreja do Brasil em sua conscientização e responsabilidade missionárias. Como assessor, juntamente com outra pessoa, a Ir. Sandra Regina Amado, vamos animando a vida missionária da Igreja através de encontros, formações, projetos. Em cooperação e articulação com outros organismos missionários do Povo de Deus, como a CRB, as POM, a REPAM, o CIMI, vamos trabalhando para que a Igreja não perca este seu aspecto essencial: sua natureza missionária; e para que batizado algum se esqueça de que a Vida é Missão!

CRB – Inspirado em Isaias, o Papa Francisco enviou uma mensagem para o Dia Mundial das Missões que celebramos hoje, mensagem intitulada:«Eis-me aqui, envia-me» (Is 6, 8). Pode nos falar um pouco sobre esta mensagem?

PE. DANIEL R. – Desde 1926, os Papas escrevem uma mensagem para o Dia Mundial das Missões. Neste ano, o papa Francisco escolheu aquele Tema – A Vida é Missão, e o Lema, “Eis-me aqui, envia-me!”, do livro do profeta Isaías.

Desta forma, o Santo Padre deseja sublinhar a dimensão existencial da missão, ou seja, a nossa vida é missão, seja em qualquer lugar ou responsabilidade. O que somos – missão é mais do que aquilo que fazemos… o Ser é anterior ao Fazer: Somos uma Missão de Deus, como ele mesmo escreveu na Evangelii Gaudium.

CRB – Quando o Papa Francisco diz: “«A missão, a “Igreja em saída” não é um programa, um intuito concretizável por um esforço de vontade. É Cristo que faz sair a Igreja de si mesma.”, o que ele quer dizer?

PE. DANIEL R. – O papa Francisco, assim como os seus antecessores, trazem a missão no coração. É evidente este aspecto nos últimos pontificados. O Papa João Paulo II , no documento Redemptoris Missio vai defender que a crise missionária é uma crise de fé. Isto é forte! Muito forte e intrigante. O Papa Bento XVI, na Mensagem para o Dia Mundial das Missões de 2012 veio explicar que a missão é paradigma da vida eclesial; ou seja, é o metro de avaliação de cada atividade da Igreja.

Quando o papa Francisco vem falar de Igreja em saída ele vem trazendo frescor a estes ensinamentos do Magistério e ainda, nos recordar que a Missão não é algo nosso, mas que é de Deus mesmo, que vem, e que se revela. Se nosso Deus é um Deus que vem, Ele é um Deus que sai… que se move, que se deixa impactar pelo sofrimento humano e vem ao seu encontro. Ora, assim deve ser também a Sua Igreja. Sendo ela constituída para testemunhar a fé em Jesus, o Deus que veio, então ela também deve sair de si e ir.

CRB – O povo, as comunidades, as paróquias celebram o Dia Mundial das Missões com a oração, a reflexão. Existe uma oração especial para este dia? Pode rezá-la com nossos ouvintes?

PE. DANIEL R. – Sim, sim existe sim. É bem verdade que desde 1926 existe o Dia Mundial das Missões, como expliquei acima, sempre no terceiro domingo de outubro. Mas aqui no Brasil, desde 1972 escolheu-se celebrar todo o mês de outubro com uma Campanha Missionária. E esta Campanha, dentre as várias atividades de promoção missionária (novena, coleta, vídeos, testemunhos), existe também uma oração para que se reze durante o mês e é esta aqui:

Oração do Mês Missionário

Deus Pai, Filho e Espírito Santo,

fonte transbordante da missão.

Ajuda-nos a compreender

que a vida é missão, dom e compromisso.

Que Maria, nossa intercessora

na cidade, no campo, na Amazônia e em toda parte,

ajude, cada um de nós,

a ser testemunhas proféticas

do Evangelho, numa Igreja sinodal

e em estado permanente de missão.

Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

Amém.

 

CRB – “A caridade manifestada nas coletas das celebrações litúrgicas do terceiro domingo de outubro tem por objetivo sustentar o trabalho missionário, realizado em meu nome pelas Obras Missionárias Pontifícias, que acodem às necessidades espirituais e materiais dos povos e das Igrejas de todo o mundo para a salvação de todos.” Como acontecem estas coletas e que tipo de necessidades concretas atendem?

PE. DANIEL R. – Realmente, no Dia Mundial das Missões, faz-se uma coleta missionária. Naquele dia, todo o arrecadado nas Missas celebradas pelo mundo é direcionado para as Obras Missionárias da Igreja. Aqui no Brasil, do valor total arrecadado 80% é repassado para a Congregação para Evangelização dos Povos, em Roma, que irá subsidiar projetos de missão por todo o mundo: obras sociais, obras de formação, de evangelização na África, na Ásia, na Oceania, e em outros países e dioceses necessitadas da América Latina ou do Leste Europeu. Já os 20% restantes é destinado a obras missionárias aqui no Brasil.

Assim, é preciso recordar a importância desta coleta para que os missionários, daqui do Brasil ou de fora, possam continuar a trabalhar pela construção do Reino de Deus.

Este ano, por causa da pandemia, sabemos que a contribuição será menor, mas pedimos para que não deixe de ser feita. Existem vários canais de contribuição, caso não o faça pela paróquia. Para isso, no site das Pontifícias Obras Missionárias poderão ser encontradas muitas informações: www.pom.org.br

CRB – Existem Congregações religiosas missionárias ou todas o são?

PE. DANIEL R. – Todos os batizados são missionários! Todos! Por força mesmo do batismo, descobrimos que nossa vida é missão! No entanto, existem sim pessoas e instituições que se dedicam exclusivamente à missão. Aqui vale a pena a gente entrar num âmbito bonito do discernimento vocacional. Na Igreja, podemos assumir a vocação matrimonial, sacerdotal ou consagrada. E uma vez discernida esta vocação de estado de vida, vale a pena se perguntar e perguntar a Nosso Senhor se Ele não nos chama também à missão, com um comprometimento maior que nos faça sair de nós e de nossas realidades familiares e culturais, e irmos ao encontro de quem não conhece a Jesus ou que precisam de nossa ajuda fraterna. Assim, inclusive famílias inteiras podem ser missionárias!

CRB – O Papa Francisco faz menção a este Dia Mundial marcado pela pandemia?

PE. DANIEL R. – A Mensagem para o Dia Mundial da Missão é sempre lançada meses antes do terceiro domingo de outubro. Assim, quando ele escreveu a mensagem deste ano, a pandemia já estava assolando a Europa. E sim, ele faz menção a este triste acontecimento, incutindo em nós coragem e esperança: “Estamos verdadeiramente assustados, desorientados e com medo. Dor e morte nos fazem experimentar nossa fragilidade humana, mas, ao mesmo tempo, têm nos feito reconhecer como participantes de um forte desejo de vida e de libertação do mal. Nesse contexto, o chamado à missão, o convite para sair de si mesmo por amor a Deus e ao próximo, apresenta-se como uma oportunidade de partilha, serviço e intercessão. A missão que Deus confia, a cada um de nós, faz-nos passar do ego medroso e fechado ao ego encontrado e renovado pelo dom de si”.

CRB – Todos somos discípulos e missionários? Como? Pode nos deixar uma mensagem final e uma bênção?

PE. DANIEL R. – Se puder dar uma definição de missão, eu diria que missão é uma Paixão por Jesus Cristo e uma paixão pela humanidade; mais claramente ainda: é uma Paixão por Jesus que transborda num amor apaixonado pela humanidade.

Desta forma, antes de transbordarmos este amor aos irmãos, é preciso cultivá-lo de forma intensa e incandescente, em direção a Jesus. E isto somente é possível quando nos encontramos e nos identificamos como discípulo.

O discípulo é alguém que quer ficar perto de seu mestre; que quer aprender com ele; que quer, inclusive, ser identificado com ele.

Assim, todo discípulo de Jesus deveria cultivar uma vida de oração e intimidade com Ele para que, na obediência de seus ensinamentos, puder ser enviado para continuar a Sua missão.

Primeiro como discípulos e depois como missionários, apóstolos, vamos sendo configurados com Nosso Senhor Jesus Cristo para que Ele possa continuar a realizar a sua missão salvadora.

Neste sentido deixo também a minha mensagem final: busque viver uma experiência redentora e salvadora profundamente amorosa com Nosso Senhor, pois esta vida interior transbordará em uma missão fecunda e feliz.

Que a Virgem Maria, Estrela da Evangelização e Mãe do Evangelho Vivente alcance para toda a Igreja uma graça especial, a fim de que todos os batizados sintam-se verdadeiramente discípulos de Seu Filho e, apaixonados por Ele, se tornem Seus missionários! Um abraço a todos e feliz Dia Mundial das Missões!

Posts relacionados