Vem aí a revista Convergência nº 76

Queridos jovens!

A Assembleia Geral da ONU instituiu, em 12 de agosto de 1999, o Dia Internacional da Juventude. Papa Francisco, na mensagem para a XXXIII Jornada Mundial da Juventude, inicia e termina o texto com esta saudação: “Queridos jovens, o Senhor, a Igreja, o mundo esperam também a vossa resposta à vocação única que cada um tem nesta vida! À medida que se aproxima a JMJ do Panamá, convido-vos para este nosso encontro com a alegria e o entusiasmo de quem deseja fazer parte duma grande aventura. A JMJ é para os corajosos! Não para jovens que procuram apenas a comodidade, recuando à vista das dificuldades. Aceitas o desafio?”

Pe. Aloir Pacini, sj, publica um breve relato do martírio do jesuíta Irmão Vicente Cañas, em 6 de abril de 1987. “Vicente era um homem de justiça e paz, sabia discernir o certo do errado e agir conforme o amor de Deus o inspirava. A vida do Irmão Vicente ganhou um profundo significado para os missionários indigenistas pela sua inculturação e participação mais radical no mistério de Cristo. Nosso mundo saturado de palavras encontra no Irmão Vicente Cañas um homem de gestos, pois estava sempre pronto para em tudo amar e servir”.

O primeiro informe traz a Mensagem Final do Seminário Nacional da VRC.

“Nós, cerca de 600 religiosas e religiosos participantes do Seminário Nacional da Vida Religiosa Consagrada, em Aparecida-SP, de 5 a 8 de maio de 2018, renovamos nossa missão, com Maria Mãe da humanidade e companheira dos pobres, de ‘sair às pressas, aonde clama a vida’”.

Irmã Maria de Fátima Kapp fala da Campanha Missionária de 2017, lançada pelas Missionárias Servas do Espírito Santo, da Província Brasil Sul, para beneficiar as comunidades intercongregacionais do Haiti e de Moçambique, que são iniciativas da CRB Nacional. Irmã Fátima compartilha algumas atividades dos projetos, nos quais será aplicada a verba recolhida na referida Campanha.

Irmã Sueli Venâncio divulga o Instituto de Formação Humana Integral de Montreal (IFHIM). É m centro de treinamento internacional que oferece o processo de formação humana integral pela atualização de forças vitais humanas, através de programas de formação estruturados, sessões, workshops, conferências, acompanhamentos de grupos ou encontros pessoais.

Visando às Eleições deste ano, Pedro A. Ribeiro de Oliveira oferece o artigo “O momento político: pistas para o discernimento cristão”. Na apresentação do texto, o autor esclarece: “A base deste texto foi elaborada para compor a análise de conjuntura apresentada no 14º Encontro Intereclesial de CEBs. Neste artigo retomo o essencial daquela análise para entender a realidade brasileira em 2018 e assim trazer os subsídios da sociologia da política para o discernimento cristão. Ao colocar em relevo os pontos que não podem ser negligenciados, quero deixar claro que esta análise não pretende ser apolítica nem neutra: ela destina-se às pessoas que estão insatisfeitas com a atual situação do Brasil e do mundo e buscam pistas para a construção de um mundo onde reinem a Justiça, a Paz e a integridade da Casa Comum.

Um tema desafiador: “Superar a anemia espiritual da Vida Religiosa Consagrada”. O autor, Pe. Luís Gonzávez-Quevedo, faz esta interrogação importante: a nossa VRC estará mesmo anêmica? O autor conclui o texto assim: “Creio que a nossa VRC está anêmica, sim. Creio que precisamos voltar às fontes, retornar a Assis, caminhar à beira do rio Cardoner… Sobretudo, precisamos voltar a Nazaré, reencontrar-nos com Jesus, deixar-nos seduzir por Ele, seguir suas pegadas e consagrar-Lhe, mais uma vez, toda a nossa vida”.

Pe. Adroaldo reflete sobre Espiritualidade da Vida Religiosa Consagrada para o mundo de hoje. Explica o autor: “Queremos, nesta breve reflexão, destacar esta dimensão essencial que serve como baliza para dar sentido e coesão à nossa vida e missão, enquanto Vida Religiosa Consagrada. Estamos falando da ‘interioridade evangelizada, conduzida pelo Espírito’”.

Outro texto sobre espiritualidade é de Lúcia Pedrosa-Pádua: Um convite a ouvir a voz de Santa Teresa de Jesus: a oração desenvolve as relações e está unida à ação apostólica. A autora informa o itinerário do texto, em cinco pontos: “veremos a dimensão antropológica da oração teresiana, passaremos pelas características principais da oração como amizade e relação de amor, entraremos na fina relação com Cristo que a pedagogia de Santa Teresa nos propõe, buscaremos compreender os abismos da entrega mística em sua mistagogia e finalizaremos com o ápice da experiência teresiana: a de unir-se ao destino de Cristo no matrimônio espiritual. As palavras do matrimônio espiritual são de envio, em missão apostólica. Por isso, podemos afirmar que o místico é um apóstolo, um discípulo-missionário”.

Marcelo Barros traz o tema Ecumenicidade na Conferência e nos Documentos de Medellín, com o texto “O sopro do Espírito de Medellín”. Afirma o autor: “Apesar de todas as dificuldades e do ambiente muito tenso, a Conferência e suas conclusões foram iluminadas pelo clima de renovação e fecundidade espiritual que o Vaticano II provocou. Certamente, entre todas as graças recebidas do Espírito na Conferência de Medellín, uma das mais fortes foi o clima ecumênico e a experiência de diálogo e unidade intereclesial ali vividos e testemunhados. Sobre isso, vamos refletir e tirar algumas conclusões”.

Pe. Luís Stadelmann apresenta “Pessoas com deficiência física na Bíblia”, abordando o tema no AT e no NT. Na introdução, o autor expressa que “em todas as seções da Bíblia há textos referentes a doenças e enfermidades que se manifestam em todas as faixas etárias da existência humana, onde as decisões divinas se “encontram” com as humanas. Os autores bíblicos têm de falar desse assunto porque a enfermidade aponta para uma crise do paciente, que se transforma em pergunta viva, não apenas sobre as causas, mas sobre si mesmo, sobre o seu mundo imediato e sobre o sentido da vida. Ora, na Bíblia é que temos de achar a resposta a todas essas questões porque aí se encontra a doutrina da religião da salvação e não crenças avulsas acerca de mera melhoria da qualidade de vida”.

Frei Edimar Fernando Moreira apresenta “O discernimento em João Cassiano: Pistas para responder ao chamado de Deus no itinerário vocacional”. Ele escreve: “Neste artigo, queremos analisar como a noção de discretio, em João Cassiano, poderia ajudar os cristãos num processo de escolha de uma vocação específica, tal como na VRC. Para isso, após refletirmos sobre o termo discretio, identificaremos quais são os princípios que regem nosso pensamento. Em seguida, consideraremos sobre a importância de a pessoa ter clara a meta para a qual se propõe e de se lançar em sua direção. Por fim, apresentaremos uma das atitudes necessárias para se chegar ao discernimento.

“Queimados pelo Espírito – uma reflexão sobre a sensibilidade e a caridade pastoral” é texto do Pe. João dos Santos Barbosa Neto. “Este artigo propõe-se a refletir sobre o tema da caridade pastoral em duas linhas diferentes. A primeira parte procura contextualizar a caridade pastoral e apresentar um caminho com o qual se possa nutri-la e exercitá-la.

A segunda parte visa sugerir uma direção na qual o primado de Deus esteja em harmonia com o ser pastor do religioso, evitando o risco do ativismo”.

Irmão Lauro Daros, marista

Posts relacionados

Escola Vocacional 2023

Aconteceu de 23 a 28 de janeiro de 2023 a Escola Vocacional em Brasília promovida pelo Instituto dos Irmãos Maristas em parceria com CRB Nacional

Leia mais »