Salesianos iniciam Capítulo Geral em Roma

Por Rosinha Martins| 05.03.14| Os salesianos de Dom Bosco realizam, em Roma, o 27º Capítulo Geral que pretende escolher e nomear sucessor de padre Pascual Chávez Villanueva, o 9º sucessor de dom Bosco,  que  há 12 anos assume a missão acompanhar a congregação dos Salesianos de dom Bosco no mundo.

 A cerimônia de abertura ocorreu no último dia 3, e contou com a participação do prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, dom João Braz de Aviz, os cardeais Tarcisio Bertone, sdb,  Raffaele Farina,sdb,  Oscar Rodríguez Maradiaga, sdb e Ricardo Ezzati, sdb,   o bispo da Diocese de Porto-Santa Rufina, Dom Gino Reali, e a Superiora Geral das Filhas de Maria Auxiliadora, Madre Yvonne Reungoat e demais representantes da família salesiana.

O Superior Geral da Congregação, padre Pascual Chávez Villanueva deixou claro que atuação e o testemunho profético é o que deve preocupar a família salesiana.  “Preocupa-nos não o futuro da Congregação, como se fosse uma questão de sobrevivência, mas a nossa capacidade de profecia”. E continuou: “A Congregação é chamada neste Capítulo,  a renovar-se de tal forma que possa ter o frescor das origens, o elã missionário da sua adolescência, o dinamismo da sua juventude, a santidade da sua maturidade”. Ela se apresenta unida, mas “a unidade da Congregação não significa uniformidade”, relatou.

Chávez disse ainda que o Capítulo deve abrir as portas a um diálogo no qual todos podem exprimir livremente os seus pensamentos acerca da tarefa da Congregação hoje e a respeito dos seus urgentes desafios. “Mas todas as propostas devem, ao mesmo tempo,  encontrarem-se na linha e no espírito do Evangelho, na fidelidade a quanto nos indicam as Constituições”, afirmou.

E frisou que, “certamente leis e tradições, que sejam puramente acidentais, podem ser mudadas, mas nem toda mudança significa progresso. É preciso discernir se tais mudanças contribuem realmente a reafirmar a identidade, a consolidar a unidade, a promover a vitalidade e a santidade da Congregação”.

Para padre Chávez, todo Capítulo constitui uma etapa importante que projeta a Congregação pelo rumo de um novo sexênio. E sublinhou que  o 27º Capítulo mira algo novo, inédito. “Impele-nos a urgência da radicalidade evangélica. Somos chamados a voltar ao essencial, a ser uma Congregação pobre para os pobres e a reencontrar inspiração na mesma paixão apostólica de Dom Bosco”, disse.

O superior concluiu sua fala convidando aos presentes a abrirem  o coração ao Espírito que guia sempre pelo rumo da verdade e da plenitude da vida.

“Em nosso 23º Capítulo Geral realizado em 2014,  os documentos preparatórios ao Capítulo sublinhavam o tema da família como fulcro do nosso ‘estar-com-os-jovens casa que evangeliza’. A ‘casa’, a ‘família’, estão entre as maiores intuições de Dom Bosco. Nossa profecia começa ali. (…) É um espírito que é testemunho de fraternidade, alegria vocacional e ímpeto para a missão”, disse a superiora geral das Salesianas, Madre Yvonne Reungoat (foto).

A coordenadora mundial dos salesianos cooperadores, Noemi Bertola disse que a presença dos salesianos junto aos cooperadores é de fundamental importância.  “Ao longo da mesma via de santidade será cada vez mais importante a sua presença ao nosso lado, com um acompanhamento espiritual que sustente o crescimento e a formação permanente, no respeito à especificidade dos papéis”, relatou.

Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, dom João Braz, fez menção à Carta de Convocação para o Capítulo, com a pergunta “Que vida consagrada é necessária e significativa para o mundo de hoje? Viver a profecia da comunhão e da fraternidade”, afirmou. E concluiu. “Trata-se de passar da ‘sequela Christi’ individual à ‘sequela Christi’ comunitária. E, parafraseando Santa Teresa d’Avila, construir além do “castelo interior” também o ‘castelo exterior’, isto é, ir a Deus junto com os irmãos e as irmãs, o que significa, uma espiritualidade de comunhão segundo o modelo da Trindade. É este o paradigma para a realidade de hoje na qual, além de consumidores, somos chamados a ser construtores de comunidade, a fim de tornar concreto, cada dia, o ‘espírito de família’, característica da experiência educativo-espiritual de Dom Bosco”.

Participa do Capítulo Geral dos Salesianos, padre Orestes Carlinhos Fistarol, sdb, membro da Diretoria da CRB Nacional.

Fonte:ANS

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »