Religiosas e Religiosos encerram o Ano da Vida Consagrada em Aparecida

Por Elizangela Cavalheiro | 31.001.2016 | O arcebispo de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, dom Jaime Spengler disse em missa de encerramento do Ano da Vida Consagrada que a história da Igreja católica no Brasil mereceria ser “reescrita com os olhos dos consagrados”. A missa reuniu religiosos e religiosas de diversas congregações religiosas, institutos seculares, entre outros, para a Romaria da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB).

A missa foi concelebrada pelo bispo de Osasco, dom Frei João Bosco Barbosa de Sousa e padres de diversas localidades. Ao redor do Altar Central e em meio à assembleia religiosos e religiosas manifestaram a sua alegria pelo dom de sua vocação como também o seu agradecimento por todo esse ano dedicado à vida consagrada. Também esteve presente na celebração, o vice-presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), Irmão Jardelino Menegat, que ao final da celebração deixou uma mensagem especial para toda a vida consagrada presente no Brasil.

Meditando o Evangelho, o arcebispo falou sobre o cumprimento da Palavra: “Hoje se cumpriu essa Palavra, que Palavra?” indagou dom Jaime. “Que Jesus é o ungido pelo Pai, enviado à anunciar aos pobres a libertação e um tempo de graça do Senhor”, afirmou. Através dessa Palavra, Jesus atualiza os que os profetas ao longo dos séculos haviam anunciado, completou o arcebispo.

“Também para nós atualizar a Palavra significa escutar Jesus e o seu Evangelho, hoje. A obediência ao Evangelho nos torna atuais e participantes do hoje de Deus”, indicou dom Jaime aos fiéis.

O arcebispo deixou também uma mensagem de incentivo e esperança aos consagrados e consagradas. “Caros consagrados e consagradas: não tenham medo! Caminhemos o caminho do amor, da caridade, da misericórdia. O Ano da Vida Consagrada quis e quer nos recordar o essencial e o essencial de nossas vidas é o Evangelho, crucificado, ressuscitado. A renovação tão desejada de nossos institutos, de nossas casas, de nossas famílias religiosas consagradas, de nossos institutos seculares, de nossas iniciativas e a renovação de nós mesmos passa necessariamente pelo encontro com a pessoa de Jesus e o seu Evangelho”, frisou.

Nesse sentido, dom Jaime acrescentou à sua reflexão: “Deixemo-nos encontrar pelo Senhor, deixemo-nos surpreender pelo Evangelho, deixemo-nos tocar por aquilo que o Papa Francisco pede de nós: sair, sair, sair e ir ao encontro de todos, especialmente pelos não considerados pela sociedade. Não tenhamos medo, coloquemo-nos em marcha, abandonemos os nossos espaços de conforto!”, exortou o arcebispo.

Ao final, o presidente da celebração reconheceu o grandioso trabalho realizado pelos religiosos e religiosas enfatizando que a história do Brasil e da presença da Igreja nesse país “mereceria ser reescrita com os olhos e com os óculos dos consagrados e consagradas”.

“No dia de hoje, louvor, reconhecimento e gratidão por tanto bem realizado, mas prece também, prece de toda a nossa Igreja, para que o Senhor tenha misericórdia de todos nós e desperte no coração de muitos o desejo de abraçar o caminho da consagração porque a vida consagrada vale a pena e nós precisamos dizer isso à nossa juventude. A vida consagrada vale a pena”, finalizou o arcebispo

Leia a íntegra da mensagem do vice-presidente da CRB Nacional, Irmão Jardelino Menegat, fsc.

Prezados Consagrados e Consagradas! SOMOS CONVIDADOS a:

1. AGRADECER ao PAPA FRANCISCO por ter dedicado um ano para a VIDA CONSAGRADA.

2. SER testemunhas da alegria. Alegria que se apodera da vida da pessoa e se converte em fonte de renovação para toda a Igreja.

3. Despertar o mundo para a comunhão do encontro, da fraternidade e da partilha.

4. Viver a dimensão contemplativa no meio de tantas ocupações do nosso cotidiano.

5. Lançar um olhar de gratidão ao passado, visualizar o futuro com esperança e viver o presente com paixão.

6. Crer na Vida Consagrada porque mesmo minoritária continua acreditada quando acompanha, escuta, fala com palavras e atitudes de amor, de ternura e cuidado.

7. Crer na Vida Consagrada porque ela é a expressão de que Jesus continua chamando os que Ele quis para ser memória viva do seu modo de agir, viver e conviver.

8. Crer na Vida Consagrada porque está vivendo os capítulos mais apaixonantes de sua história e, entre poucas certezas e não clarezas, está voltando, como nunca, ao mais essencial do Evangelho.

9. Crer na Vida Consagrada porque está despertando sua audácia e ousadia, porque seu profetismo não morreu, porque está abrindo portas com sua maneira alternativa de viver o amor, a partilha e a busca constante da vontade de Deus.

10. E Neste ano somos conviddos a passar pela porta santa da misericórdia para poder olhar para as pessoas sem julgar e condenar, mas amar e perdoar.

MUITO OBRIGADO VIDA CONSAGRADA!

Ir. Jardelino Menegat – vice-presidente da Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »