Pastoral Afro-brasileira reafirma necessidade de políticas afirmativas para população negra

O coordenador da Pastoral Afro-brasileira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Jurandyr Azevedo de Araújo (ISJB) emitiu mensagem para os 127 anos de assinatura da Lei Áurea, lembrados em 13 de maio, uma das datas que marcam a memória de lutas da população afro-brasileira.

Padre Jurandyr considera 13 de maio “uma data marcante para o Brasil”, mas ressalta que “a abolição da escravatura é uma obra inconclusa, devido às precárias condições de vida da população negra”.

Para o sacerdote, a “lembrança desta data traz para a nação brasileira a oportunidade de renovar o compromisso de solidariedade para com a população afro-brasileira, majoritariamente vivendo em condições de pobreza e miséria”.

Papel da Igreja

A Igreja coloca-se, acentua padre Jurandyr, em uma posição de solidariedade e de defesa da população afro. “A Igreja Católica no Brasil, consciente da sua missão de “ser a advogada da justiça de defensora dos pobres” (DAp 395),  coloca-se ao lado destes irmãos ainda marginalizados”.

O coordenador da Pastoral Afro-brasileira lembra especialmente dos povos quilombolas, muitas vezes perseguidos em sua luta pela recuperação dos seus territórios. “Garantir a esta população a posse legalizada do seu território significa muito mais do que garantir um pedaço de chão. É a garantia da preservação da herança das culturas e das tradições afro-brasileiras presentes nestas populações”.

Políticas públicas

Na opinião da Pastoral Afro-brasileira, uma educação básica de qualidade é um dos caminhos para aprofundar as políticas e ações afirmativas de inclusão cidadã do restante da população afro-brasileira, especialmente as crianças e jovens.

Além disso, se faz necessário, o acesso ao ensino superior público e gratuito e o atendimento qualificado nas questões de saúde.

Padre Jurandyr de Araújo recorda que “Jesus Cristo aquele que revela o Deus misericordioso, nos convida ao compromisso samaritano, profético, que ilumina o compromisso eclesial com toda a população afro-brasileira, pelo atendimento qualificado nas questões brasileiras’’ e roga pela proteção de Maria, sob o título de Nossa Senhora de Fátima, cuja festa celebra-se em 13 de maio, para todos os que se comprometem com a causa da população afro.

A Pastoral Afro-brasileira está em fase de preparação para o VIII Congresso Nacional das Entidades Negras Católicas (Conenc), que acontecerá de 16 a 19 de julho de 2015, em Duque de Caxias (RJ).

O tema do Conenc será “Profetismo: Construindo uma sociedade Justa e Solidária”. O lema será “Chamei você para o serviço da Justiça e coloquei como aliança do meu povo e luz das nações” (Is 42, 6).

Fonte: POM

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »