O missionário presbítero para uma Igreja em saída é tema de Formação para Seminaristas

Por Silas de Oliveira|27.04.2015| O Seminário São José, na histórica cidade de Mariana (MG) acolheu neste final de semana, 24 a 26 de abril, o 5º Encontro de Formação Missionária para Seminaristas (Formise) do Regional Leste 2 da CNBB (Minas Gerais e Espírito Santo).

Promovido pelo Conselho Missionário de Seminaristas (Comise), com o apoio do Conselho Missionário Regional (Comire), o encontro foi assessorado pelo padre Jaime Carlos Patias, secretário nacional da Pontifícia União Missionária, de Brasília (DF). A programação incluiu colocações, partilhas em grupo e celebrações com a finalidade de redescobrir a missão como essência da Igreja e principal motivação vocacional na vida do presbítero. Ao refletir sobre “o missionário presbítero para uma Igreja em saída”, tema do 2º Congresso Missionário de Seminaristas que acontece no próximo mês de julho em Belo Horizonte (MG), padre Patias destacou os fundamentos da missão e os sujeitos da animação e cooperação missionária. Repassando os temas da Cartilha de Preparação ao Congresso, o assessor lembrou que, “a Igreja nasce da missão e existe para a missão: precisa ir a todos”. Por isso a insistência do papa Francisco de que a Igreja é chamada a estar “em saída” como o seu Senhor que “sabe ir à frente, sabe tomar iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados e chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos” (EG 24). Essa vocação da Igreja deve ser assumida por seus discípulos missionários, em especial pelos presbíteros, que são lideranças fundamentais na missão. “Daí a urgência de uma formação que coloque a missão no coração dos presbíteros”, sublinhou pare Jaime ao expor os objetivos do Congresso de Seminaristas para aprofundar essa temática. “A formação pastoral-missionária deve ser o princípio unificador de todo o processo formativo (estudos e práticas pastorais) que qualifica o presbítero para o seu ministério”.

Participaram da formação, 54 seminaristas de 16 arqui(dioceses) que deverão repassar os conteúdos aos colegas. Para Douglas Xavier, seminarista da diocese de Luz (MG), o tema, além de despertar para a missão impulsiona para uma melhor organização dos Comises. “Esses dias de reflexão com outros seminaristas despertou em nós mais uma vez a chama de nossa vocação missionária. É preciso sair dos nossos lugares, das nossas dioceses com a perspectiva de levar Cristo a outros lugares”, afirmou o jovem.

Ficou evidente a necessidade de uma Igreja em constante saída missionária. “A Igreja é missionária por essência, identidade e natureza. O presbítero, como aquele que age na pessoa de Cristo, deve ser o primeiro a vivenciar essa dinâmica missionária”, relatou Carlos César, seminarista da arquidiocese de Pouso Alegre (MG). Segundo ele, é necessário que os seminaristas estudem os temas propostos pela Cartilha, “pois num futuro próximo eles terão um rebanho para cuidar e este deverá aprender, com a ajuda do presbítero, a ser missionário, acolhedor, que saiba curar as feridas sem distinção. Essa dimensão missionária é o coração de uma diocese, de uma congregação”, afirmou.

Para Wallafe Augusto, seminarista da arquidiocese de Belo Horizonte, o encontro ecoou o apelo da missão além das fronteiras diocesanas. “Devemos ser missionário no meio do povo, e onde há povo, há missão. O Formise traz o apelo de ser missionário além dos lugares que conhecemos”.

O seminarista Ronaldo Borel veio da diocese de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo. “É uma alegria perceber a nossa organização e a necessidade de uma estruturação, com mais pé no chão, sobretudo a dimensão que implica olhar para a missão numa perspectiva de uma Igreja em saída. Voltamos para o Espírito Santo com o objetivo de retomar essa discussão na diocese de Cachoeiro juntamente com toda a província eclesiástica do Estado para uma estruturação mais sólida dos Comises”, opinou.

O encontro também contou com a visita de alguns padres da arquidiocese de Mariana bem como de outras dioceses que marcaram presença em alguns momentos. Padre Valter Magno, reitor do Seminário São José presidiu a missa de abertura do Formise acolhendo os participantes demonstrando total apoio à iniciativa.

Padre Leandro de Carvalho, reitor do Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora Auxiliadora de Pouso Alegre (MG), lembrando o Bom Pastor e as belezas de Mariana, desejou que todos cultivassem o mesmo sonho de Jesus Cristo. Incentivou os seminaristas a serem firmes embora a missão às vezes assuste. “Na realidade do mundo, das pessoas e dos desafios que por vezes angustiam nosso coração não podemos ter medo de ser missionários, começando já na vida do seminário, na própria vida pessoal. Vão também vocês a encontrar as pessoas a encontrar este mundo que tanto espera a presença de Cristo Bom Pastor”.

No domingo pela manhã, antes da missa de encerramento os seminaristas fizeram uma visita à igrejas históricas de Mariana começando pela catedral onde estão sepultados os bispos, entre eles, dom Luciano Mendes de Almeida e dom Antônio Ferreira Viçoso, ambos em processo de beatificação.

Confira aqui álbum de fotos da Formação

Comunicação Comise regional Leste 2.

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »