Missionárias reforçam missão em Rio Branco para acolher imigrantes

As Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu, Scalabrinianas, que já acompanhavam a chegada dos imigrantes na região norte do Brasil, agora têm uma missão permanente na diocese de Rio Branco (AC), onde foi oficialmente inaugurada, uma casa de atenção aos imigrantes que chegam nesta região de fronteira, especialmente os haitianos, dominicanos, africanos, entre outras nacionalidades.

A missão das Scalabrinianas foi aberta em 1 de junho, dia em que a Igreja celebrou 110 anos da memória do fundador, beato João Batista Scalabrini, chamado de pai dos migrantes por São João Paulo II. 

Participou da abertura da missão, o bispo de Rio Branco, dom Joaquin Pertiñez, a Irmã Neusa de Fatima Mariano, Superiora Geral da Congregação e a irmã Rosita Milesi, diretora do Instituto de Migrações e Direitos Humanos de Brasília (IMDH).

“Nós esperamos que o Senhor, por intercessão de Maria, Mãe dos Migrantes, do beato João Batista Scalabrini, apóstolo dos migrantes, e da beata Assunta Marchetti, possa ajudar esta nova presença missionária da Congregação, como uma presença de solidariedade e de acolhimento, em defesa da vida e dos direitos dos migrantes”, destacou Irmã Neusa.

“As palavras de Jesus ‘Eu era um migrante e vocês me acolheram’ nos fazem entender, viver e ver o rosto de Cristo no rosto de cada migrantes, principalmente nesta realidade, tão vulnerável”, disseram as irmãs Zenaide Ziliotto, superiora provincial, e Ires da Costa, pioneira da missão, com outras três irmãs.

Um dos momentos marcantes foi o encontro com os mais 450 imigrantes/solicitantes de refúgio no abrigo “Chácara Aliança”, que apontaram as urgências de atenção digna aos que chegam em busca de acolhida e sustento. Entre os migrantes há grávidas, mães com bebês recém-nascidos, e muitos outros pedindo passagem ao seu destino final.

Segundo irmã Rosita Milesi “é um apelo à caridade, acolhida e solidariedade, como tanto alerta o papa Francisco”.
Uma Celebração Eucarística, seguida por confraternização, foi realizada na Comunidade Nossa Senhora Peregrina, na casa das Irmãs de Nossa Senhora, a fim de fortalecer os presentes na missão que estava se iniciando. 

Pioneira desta missão, a irmã Ires de Costa explica que Scalabrini deu o exemplo e encoraja a servir com amor a compaixão, com a esperança e profecia. “É para nós um modelo que nos inspira a escutar a Deus no grito dos imigrantes”, disse.

O abrigo deve atender prioritariamente mulheres e crianças, como propôs o IMDH, parceiro e apoiador da missão. O assunto foi tratado por irmã Rosita com o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Acre, Nilson Mourão, que considerou a proposta altamente oportuna, oferecendo desde logo todo o apoio e suporte necessário.

Com informações Fides/ CNBB

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »