Irmã Maria Alba respondeu ao “Vinde ver!” indo ao encontro do Mestre, no céu!


Faleceu, em decorrência de um câncer, nesta quarta-feira, 12 de maio, aos 77 anos, a irmã paulina Maria Alba Vega Garcia, em São Paulo. Esteve a serviço da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) durante 14 anos, sendo 6 como Assessora do Setor de Comunicação, e 8, como Assessora de Imprensa da entidade.

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, se recordou, com gratidão, da irmã Maria Alba, ressaltando a sua dedicação à Igreja. “Unidos em solidariedade, suplicamos a Deus que acolha irmã Maria Alba, dando-lhe o descanso eterno. Irmã Alba foi evangelizadora exemplar. A partir do carisma das Irmãs Paulinas, muito trabalhou para fortalecer a comunicação da Igreja no Brasil. Nosso agradecimento a sua importante contribuição, presença fraterna e evangelizadora. A sua vida foi sempre marcada pela oferta à Igreja”.

Missão que exerceu na Igreja
Irmã Maria Alba tem habilitação em jornalismo e relações públicas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). De 1985 a 1991 foi assessora do Setor de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e entre 1991 e 1998 foi assessora de imprensa.

Foi Secretária Geral da Unda-Brasil (União de Radiodifusão Católica do Brasil); coordenadora diocesana do Setor de Opinião Pública em Pelotas, Rio Grande do Sul e responsável pelo Setor Regional de Comunicação do regional Leste 2 em Belo Horizonte. Também atuou na direção da revista Família Cristã, em São Paulo e foi assessora da Pastoral da Comunicação do regional Sul 1, São Paulo, entre 2004 e 2011.

O Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, a quem ela assessorou na CNBB, assim se expressou:

Meu sentimento de pesar à Congregação das Irmãs Paulinas e aos familiares pelo falecimento da Irmã Alba Vega Garcia .A CNBB e eu, pessoalmente, sou muito agradecido a Irmã Alba pela sua valiosa dedicação ao setor de comunicação da Conferência. A Irmã Alba era competente, e apaixonada pela comunicação na fidelidade ao carisma de sua congregação. Delicada e respeitosa no trato com todas as pessoas. Deixa gratas recordações a todos que tiveram a felicidade de conviver com a Irmã Alba. Deus a acolha no seu reino de paz.

Dom Raymundo Damasceno Assis.

“Se morrermos com Cristo, com Ele viveremos” (2Tm 2,11), lembra São Paulo.

 

Posts relacionados

Nota do CIMI

Nota do Cimi O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) manifesta sua solidariedade ao povo Guarani e Kaiowá e cobra justiça pelo assassinato de Vitor Fernandes “Eu

Leia mais »