“É preciso beber da espiritualidade e da Igreja Amazônica”,diz secretária da PJ aos jovens reunidos em Manaus

Por Rosinha Martins| 19.01.15. Uma Celebração Eucarística realizada na praia da Ponta Negra em Manaus, presidida pelo arcebispo de Manaus, dom Sérgio Castriani, deu início ao 11º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude que reúne cerca de quatro mil jovens vindos de todo o Brasil. 

Na manhã da segunda, 19, o vice-presidente do  vice-presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Daniel Souza e integrante da Rede Ecumênica de Juventude (Reju), enfatizou que a Pastoral da juventude é um espaço de debates e formação política, e que, diante dos fundamentalismos religiosos, a PJ contribui para o debate ecumênico e a espiritualidade libertadora.”Não podemos esquecer a reforma agrária, a democratização dos meios de comunicação, a reforma da educação e da segurança pública”, no sentido de desmilitarização da polícia. “Por cima do medo, coragem. Isso nunca faltou à PJ”, afirmou.

CRB Nacional fala sobre o Ano da Vida Consagrada aos jovens

“A PJ é Igreja no meio da juventude”, disse Irmã Elsie Auzier Vinhote, membro da Diretoria da Conferência dos Religiosos/as do Brasil – CRB Nacional. Para Vinhote, o jovens devem ser protagonistas da Ação Missionária na Igreja do Brasil e não se fechar em si mesmos.  “Vocês são chamados a  compartilhar a gratidão, viver com paixão o presente e abraçar o futuro com esperança, que é uma característica da juventude”. Irmã Elsie falou, ainda, para os jovens, o Ano da Vida Consagrada, proposto pelo Papa Francisco.

Beber da espiritualidade que a Amazônia oferece

O 11º Encontro Nacional da PJ tem como lema Sob o lema “No encontro das águas partilhamos a vida, o pão e a utopia”. Para secretária Nacional da PJ, Aline  Ogliari, “esse evento remete à mística que a região amazônica nos inspira, que é partilhar histórias, culturas, nossa vida, e o pão é um gesto concreto também, numa sociedade em que cada um diz que deve viver pra si sem se preocupar com o outro, partilhar é muito mais do que dividir. Partilhar é fazer com que todos sejam iguais, na nossa diversidade e que tenham que dividir a vida, o pão e a utopia, que é o que alimenta, é o horizonte que guia e faz a gente caminhar também”, disse.

Este encontro, acrescenta, “é marcado pela dimensão espiritual e estimula os jovens a ‘beberem’ da espiritualidade e da Igreja Amazônica. Eu acho que nós temos muito que aprender com a Igreja da Amazônia e com os povos da Amazônia como um todo, porque a região amazônica emana muita mística, é um chamado, é um apelo ao cuidado, ao olhar para a sociedade do Bem Viver, e a Igreja da Amazônia tem desenvolvido experiências muito bonitas ao longo de todos os anos”. 

Ogliari convidou ainda os jovens a irem ao encontro dos jovens, fazendo acontecer  uma aproximação com a juventude também em outros espaços porque apesar da PJ ter articulação em todos os estados brasileiros, hoje, é muito mais desafiante reunir e chamar todos os 15 mil grupos de jovens pelo Brasil.”Ir de encontro e não só querer que eles (jovens) venham de encontro a nós”. O desafio que nos coloca é estar cada vez mais em meio às outras organizações de juventude aos espaços onde os jovens estão”, concluiu.

 

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »