Curso Ad Gentes debate dimensão socioambiental da missão

O Curso de Extensão para missionárias e missionários enviados além-fronteiras que acontece, desde o dia 4 de agosto, no Centro Cultural Missionário (CCM) de Brasília, aborda esta semana, a dimensão socioambiental da missão. A escolha do tema se justifica uma vez que a missão, em seus diversos contextos, se depara com situações diretamente ligadas às mudanças climáticas e à degradação do meio ambiente. Nesse sentido, são esclarecedoras as reflexões do professor Ivo Poletto, do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social, um dos assessores do Curso. “A tomada de consciência sobre a situação em que se encontra o Planeta Terra e todos os seres que nele vivem é uma informação que motiva para criar outros tipos de sociedades, que não sejam assentadas em iniciativas econômicas que levam o Planeta ao desequilíbrio”, afirma o educador popular e assessor de movimentos e pastorais sociais.

Segundo informações veiculadas nesta terça-feira, 20, a relação entre as energias retiradas do Planeta e a capacidade que o mesmo tem de repor essas energias, para 2013, já acabou. “Isso significa que, para todo o restante do ano, teremos um prejuízo para o Planeta e uma ameaça aos seres humanos”, alerta Ivo Poletto e argumenta: “Essa situação nos dá a dimensão da urgência de trabalhar por outro tipo de sociedade, outra economia. Por outro lado, nos leva a perceber de que há iniciativas nessa direção e que temos o dever de apoiá-las. Isso está ligado à missão. A partir de Jesus, do seu Evangelho e de sua prática, nós temos uma contribuição a dar, com novas iniciativas, apoio às que já existem e participação em iniciativas mais amplas que produzam as mudanças estruturais necessárias. A atual crise socioambiental poderá representar um espaço novo para dialogar em favor de iniciativas que sejam melhores para a convivência entre os seres humanos e com o Planeta”, defende.

Realizado em parceria com o Instituto Superior de Filosofia Berthier (Ifibe) de Passo Fundo (RS), o Curso reúne 30 missionários entre leigos, religiosas e presbíteros destinados a países como Filipinas, Angola, Burkina Faso, Camarões, Guiné Bissau, Moçambique, México, Equador e Haiti. Já foram estudadas as dimensões humano-afetiva, bíblica, histórica e antropológica. A formação segue até o dia 29 de agosto e prevê ainda reflexões sobre a teologia e a espiritual da missão.

Irmã Jaqueline Costa de Oliveira, das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, se prepara para a missão nas Filipinas, onde a congregação pretende abrir uma segunda comunidade. A religiosa vai com outras duas colegas. “O curso veio a alargar os horizontes da missão. Além de ser um momento de entrosamento com outras pessoas que estão sendo enviados em missão, é um tempo para tocar esse contexto. Estamos vendo como acolher o novo e entrar na casa do outro. Está sendo uma grande oportunidade de enriquecimento cultural, humano e espiritual que me fortalece nesse envio”, avalia a Irmã que deseja “ser presença” junto aos povos filipinos. “Como Igreja quero ser extensão da presença de Deus. Não obstante o medo dos desafios, sinto-me feliz e mais missionária”.

A psicóloga Rosângela Ferreira da Silva, religiosa das Missionárias de Jesus Crucificado, já viveu por 13 anos na Bolívia. Com essa vasta experiência, a religiosa de Fortaleza (CE), embarca para o Haiti, no próximo dia 1º de setembro para integrar a Equipe do Projeto Missionário mantido pela Conferência dos Religiosos no Brasil (CRB), em parceria com a CNBB e a Caritas. Ela explica que, a opção pelo Haiti começou desde o tempo do terremoto (2010). “Lá vou me inserir no Projeto ‘Recuperando a Infância Perdida’ para ajudar na superação de traumas. Além disso, trabalhar com mães e pais de famílias, para melhorar a relação entre pais e filhos. A expectativa é de poder servir e acima de tudo, ser presença. Beber da fonte da vida do próprio povo e ser sinal do Reino”, sublinha a missionária.

Outras duas religiosas, as Irmãs, Maria Câmara, Serva da Santíssima Trindade e Ideneide do Rego, Carmelita da Divina Providência, também se preparam para substituir as missionárias da equipe no Haiti que a cada três anos se renova.

Na noite desta quarta-feira, 21, o grupo visitou a sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM), que têm a finalidade de animar e aprofundar a consciência missionária na Igreja.

Desde 1987 passaram pelo curso Ad Gentes no CCM, cerca de mil missionários e missionárias destinados a trabalhar em diversas partes do mundo.

Confira também: Começa mais uma edição do Curso para missionários enviados além-fronteiras

Para conhecer todos os cursos oferecidos pelo CCM acesse: www.ccm.org.br

 

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »