Covid-19: bebês Yanomami são internados às pressas em São Gabriel da Cachoeira

Aldeia Maiá, no Amazonas, teve uma explosão de casos suspeitos e confirmados entre crianças; cinco foram transferidas de helicóptero para hospital do Exército.

Cinco bebês Yanomami da aldeia Maiá, localizada no estado do Amazonas, foram levados às pressas de helicóptero a São Gabriel da Cachoeira neste final de semana. No domingo (09/08), quatro chegaram à cidade com um quadro severo de desidratação. Três foram diagnosticados com Covid-19 e um ainda é tratado como caso suspeito, já que o pai foi contaminado. Um dia antes, uma menina de um ano e oito meses, também de Maiá, foi internada em São Gabriel com pneumonia e Covid-19.

Maiá, uma das 330 comunidades da Terra Indígena Yanomami, fica a uma hora de avião, ou aproximadamente 170 quilômetros da área urbana de São Gabriel. A terra Yanomami é a maior do Brasil, com 9,6 milhões de hectares distribuídos em oito municípios dos estados do Amazonas e Roraima. Ali vivem aproximadamente 26 mil Yanomami e Ye’kwana — 3% da população total.

Ontem, na chegada ao hospital, as quatro mães Yanomami foram recebidas pelo pediatra de plantão, José Antonio Candeia, do Hospital de Guarnição (HGU), gerido pelo Exército. O médico demonstrou surpresa com a chegada da Covid-19 na aldeia Maiá — uma das mais isoladas da TIY. “Quem levou esse vírus para lá, meu Deus?”, questionou o médico ainda na recepção. Acompanhados pela enfermeira do DSEI-Yanomami Eliane Sanches, que fala a língua Yanomami, os bebês foram internados com diarreia e vômito. Segundo ela, são os “sintomas de Covid-19 que as crianças de Maiá estão apresentando”.

Fonte: Instituto Socioambiental – ISA

Posts relacionados