Ciclo de Debates aprofunda Lumen Gentium e o lugar de Maria na Igreja

A Constituição Dogmática Lumen Gentium, documento conciliar que explicita a concepção contemporânea da Igreja norteou as reflexões promovidas durante o segundo encontro do Ciclo de Debates: Utopias do Vaticano II: Que sociedade queremos? Diálogos, realizado no último sábado (09/03), no Colégio Marista de Brasília (Maristão), em Brasília (DF). Participaram do encontro religiosos, religiosas, leigas e leigos, padres, além de representantes e parceiros do evento. Para o debate, foram convidados os assessores Padre Antônio José de Almeida, da PUC Paraná, e o Irmão Francisco das Chagas Costa, da Província Marista Brasil Centro-Norte, ambos na condição de palestrantes.

No encontro, três temas conduziram os diálogos: Concepção Igreja Povo de Deus, Cenários Eclesiais e Mariologia. O objetivo foi debater o modelo de igreja do Vaticano II (Igreja Povo de Deus), suas origens, fundamentação bíblica e suas implicações no contexto do Concílio. Além disso, buscar fontes sobre a nova Mariologia e refletir sobre o “rosto mariano de igreja”.

A primeira palestra foi conduzida pelo Pe. Antônio José de Almeida que trouxe uma visão histórica sobre a Constituição Dogmática, desde seu esquema inicial até chegar ao texto final do Concílio Vaticano II. “O esquema tratava apenas de hierarquia, sem dar espaço à noção de que toda Igreja, em sua totalidade, é povo de Deus. No desfecho da obra, o esquema foi tirado de discussão porque não representava o que a Igreja precisava no século XX”, explicou ao relembrar que com a morte do João XXIII, o Papa que convocou o Concílio, esse esquema foi abandonado e começou a ser discutido um novo, chamado “Belga” ou “Philips”.

Na sequência, ele contextualizou esse novo momento histórico do Vaticano II, assumido pelo Papa Paulo VI, que substituiu o Papa João XXIII. O Esquema “Belga” ou “Philips” era mais simples do que o anterior e dividido em quatro capítulos com temas ligados aos mistérios da Igreja, a estrutura hierárquica de Igreja, o povo de Deus e a santidade da Igreja. Após esses dois períodos, o Concílio passou por um terceiro momento, conduzido por um grupo favorável à renovação da Igreja. De acordo com Padre Antônio, o Concílio não pretendia mudar a doutrina da Igreja, mas apresentar a doutrina de maneira que fizesse sentido para a sociedade contemporânea. “Comunicar o evangelho de sempre na linguagem de hoje, de maneira significativa para a vida humana”, destacou.

A segunda palestra foi ministrada pelo Irmão Marista Francisco das Chagas Costa, que contextualizou a importância da Mariologia citada na Lumen Gentium, que em seu primeiro capítulo mostra como a Igreja deve contemplar a pessoa de Maria. “Os capítulos sobre a constituição hierárquica da Igreja dizem que não existe Igreja sem Maria. A essência do documento é mostrar o amor e o carisma dela no ensinar a amar, no ser solidário e no cuidar, como ela ensinou”, citou.

Irmão Chagas também pontuou o que representa para o Povo de Deus a Igreja carregar um rosto mariano. “Diz no Vaticano II que Maria não abandona os seus filhos que continuam peregrinando nesta terra. Nossa Igreja está enferma de amor, o Povo de Deus não é um pequenino grupo de católicos, o Povo de Deus é o mundo inteiro. Por isso, temos que carregar a figura da mulher Maria, aquela que não desiste nunca. Não existe Igreja sem Maria”, lembrou.

No final das apresentações, todos os presentes participaram de três blocos de perguntas e respostas, em que foi possível discutir os temas das palestras. O próximo Ciclo de Debates acontecerá no dia 20 de abril, no Colégio Maristão, que abordará o tema “Relação da Igreja no Mundo Contemporâneo”, com a participação de Fernando Altemeyer, da PUC de São Paulo, e Dom Leornado Steiner, Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Os concílios são reuniões da Igreja que acontecem de tempos em tempos para redefinir os rumos da instituição. O Concílio Ecumênico Vaticano II é ainda uma obra em aberto e a União Marista do Brasil (UMBRASIL) realizará o Ciclo de Debates em nove encontros ao longo do ano de 2013 para debater, junto aos organismos eclesiais, a ação missionária da Igreja no Brasil e no mundo. Os encontros pretendem estimular os participantes a serem multiplicadores das reflexões em suas frentes de atuação, contribuindo para a sociedade que queremos.

O evento é uma realização da UMBRASIL em parceria com CNBB, CRB Nacional, Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC), CONIC, Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil Regional Brasília/DF, Universidade Católica de Brasília, Editora Paulinas.

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »