Câmara homenageia família salesiana pelo bicentenário de Dom Bosco

Rosinha Martins| 17.11.2015| A Câmara dos Deputados realizou na manhã desta terça, 17, no plenário Ulisses Guimarães uma sessão solene em homenagem a dom Bosco por ocasião do bicentenário de seu nascimento. O mentor do evento foi ex-aluno dos salesianos em Campo Grande, o deputado Henrique Mandetta.

Mandetta disse se sentir honrado por participar da sessão e poder ouvir o parecer de todos os colegas sobre o santo. Retomando as palavras do padre Marinoni que em tom de brincadeira diz que quando aluno, o deputado lhe deu muito trabalho, exaltou a energia dos jovens. “Jovem tem que dar trabalho, mas o trabalho de instigar, de falar, de sonhar e sonhar não custa nada”. E acrescentou que “colocar a visão de dom bosco frente aos jovens e usufriuir dessa maravilhosa pentecostes de línguas que levaram a sua obra ao mundo inteiro é o motivo da celebração”.

O inspetor da Inspetoria São João Bosco, padre Orestes Carlinhos Fistarol, lembrou que dom Bosco teve papel importante na formação da sociedade italiana. “Ele conscientizou a sociedade de Turim de que a educação é caminho seguro para se investir nas novas gerações”, disse.

Padre Orestes afirmou também que, “diante das violações de tantos direitos humanos que presenciamos no nosso país principalmente de tanto desrespeito à vida dos jovens negros,indios e empobrecidos , o pensamento de dom Bosco e seu método educativo continuam vivos e atuais”.

Ao encerrar sua fala, Fistarol fez um apelo à Câmara dos Deputados. “Gostariamos que o Estado brasileiro nos sentisse e nos tratasse sempre como verdadeiros parceiros na educação e na assistencia social das novas gerações em defesa da vida onde ela mais clama”.

O representante da Nunciatura Apostólica Monsenhor Thomas Grysa, dirigiu-se às centenas de jovens salesianos presentes no plenário e os convidou a ter coragem de sonhar e cultivar a cultura do encontro, o que segundo tira o ser humano da autorreferencialidade. “Ter coragem de ter ideias, fantasias, porque os sonhos esquentam o coração e dão impulso para a criatividade, para formar uma comunidade, para fazer um grupo novo, para fazer algo que pode servir para toda a comunidade, vizinhos, escola”. Grysa enfatizou que “quem não tem ideias tem o risco de fechar-se em si mesmo e ser manipulados pelos demais. Quem, como Dom Bosco tem coragem de sonhar pode com a ajuda de Deus realizar coisas grandes que ficam por anos afora”.

Parafraseando o Papa Francisco, monsenhor Thomas ressaltou a importância do cultivo de uma cultura do encontro. “O encontro é uma coisa da qual precisamos é um remédio que cura todas as tensões e guerras e nesse mistérios da comunhão, do encontro tem dois aspectos que é preciso guardar: Respeito e diálogo”.

Grysa chamou a atenção para a função da Câmara e o papel importante que exerce na formação dos cidadãos brasileiros. “Esta casa tem como missão promover a cultura do encontro, que nos protege da doença de autorreferencialidade. Continuemos esta via com entusiamo e coragem de vocês”.

O diretor das Redes Salesianas do Brasil, padre José Marinoni, suscitou aplausos da assembleia aos sublinhar a frase que, segundo ele, traçou o percurso e a missão do santo: ” Quando eu crescer quero ser sacerdote para tomar conta dos meninos. Eles são bons e se há meninos maus é porque não há quem cuide deles”.

Assista parte da sessão.

Posts relacionados

É Advento!

É Advento! Tempo de caminhar na esperança! Tempo de esperançar! Tempo de estar vigilantes e atentos aos sinais dos tempos! Atentos aos sinais de que

Leia mais »