Responsável pela temática Teologia da Missão, a religiosa Inês Costalunga, da Congregação das Missionárias da Imaculada (PIME) abriu as atividades do Curso de Extensão em Missiologia e Animação Pastoral, que teve início na noite desta quarta-feira, 30, e segue até o próximo dia 10 de fevereiro, no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília. A formação reúne 50 pessoas, entre leigos, padres e religiosos.

Este é o terceiro e último módulo do curso. O primeiro, realizado em 2011, tratou do tema O Anúncio da Palavra; o segundo, no ano passado trabalhou “A comunidade em missão”. Desta vez, para concluir a última etapa, a formação aprofunda sobre “Testemunhas a serviço do Reino”.

Para o secretário executivo do CCM, padre Estevão Raschietti, com a conclusão do ciclo formativo, os missionários devem estar aptos a desenvolver uma prática missionária. “Espera-se, com a conclusão deste módulo, que o missionário esteja capacitado a partir de instrumentos básicos, a fazer projetos missionários com coordenadas e critérios para orientar e animar a pastoral nos diversos ambientes: comunidades, dioceses e além-fronteiras”, disse.

Segundo o secretário, a Igreja precisa urgentemente de missionários preparados para lidar com os problemas universais contemporâneos e o curso oferece os mecanismos necessários para esse objetivo. “Precisamos de um modelo de Igreja que seja correspondente aos desafios que temos hoje, reorientar a caminhada eclesial segundo os critérios que obedeçam a uma Missão na atualidade”. Padre Estevão destacou ainda que um modelo de Igreja fechada deve ser descartado de uma vez por todas. “Não precisamos de uma Igreja fechada em si mesma”, acentuou. “Precisamos de uma Igreja aberta a todos; para isso devemos mudar a nossa mentalidade que surge através de um aprofundamento crítico”, completou.


Teologia da Missão

Para colaborar com os objetivos do curso, irmã Inês trabalhou o fundamento trinitário da Missão e a natureza missionária da Igreja, na manhã de ontem, 31. Ela abordou sobre a teologia da missão a partir do Evangelho de Jesus passando pelos documentos da Igreja, com ênfase no Concílio Vaticano II, para uma nova compreensão da missão. “Trabalho com eles a Teologia da Missão que nos últimos 50 anos ficou esquecida e somente foi retomada com as congregações chamadas de ad gentes. É de fundamental importância desenvolver esse tema para todo o povo de Deus: leigos, religiosos, sacerdotes, em diálogo com outras igrejas e toda a humanidade”, sublinhou.

Padre Severino Correia da Silva é pároco há 26 anos. Atualmente ele trabalha na paróquia de São Vicente Férrer cuja cidade leva o mesmo nome no interior do Pernambuco. Ele é um entusiasta da dimensão missionária e já participou de outros cursos ministrados pelo CCM. Para ele, a formação missionária é indispensável para o sacerdote que trabalha diretamente com o povo. “Eu participo das formações missionárias quando posso por que elas me dão as ferramentas necessárias para servir melhor o povo de Deus. Meu objetivo é ter uma fundamentação teológica para servir melhor a Igreja”, destacou o sacerdote.

Dilton Maria Pinto, 46, sacerdote da diocese de Guanhães (MG) também acredita que a formação é um eixo importante e indispensável para que o trabalho missionário seja feito com qualidade. “Entendo que o missionário para melhor anunciar Jesus deve sempre beber na fonte do batismo e buscar sempre novos conhecimentos além da troca de experiência no contato e convívio com outras pessoas”, afirmou. “Sinto que o dinamismo missionário em algumas dioceses não acontece muitas vezes por que falta uma formação permanente para aqueles que estão à frente das comunidades. Daí o meu empenho de participar do curso oferecido pelo CCM”, completou ainda padre Dilton.

A leiga Cristina Guizzi, 32, coordenadora do Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) de São José do Rio Preto (SP), ressalta a importância da Igreja não ficar amarrada às próprias estruturas. “Uma das maiores graças da minha vida foi fazer missão em Rondônia. Como disse Dom Helder Câmara, Missão é partir, deixar tudo e sair de si. Por isso, é preciso ter formação para poder trabalhar. Esse curso me levou a ampliar a minha dinâmica missionária e a compreensão de que missão vai de encontro a todos os povos”, destacou.

Neste terceiro módulo da formação, ainda haverá intervenções do mestre em filosofia e educação, doutorando em filosofia e psicanálise, Júlio César Werlang, (4 a 6 de fevereiro) que vai trabalhar o tema “A missão num mundo globalizado”. Padre Estevão Raschietti, por sua vez, fecha a formação com o tema “Projeto comunitário de missão”, nos dias 7 a 10 de fevereiro.

Fonte: www.pom.org.br

SDS Bloco H - nº 26 - Sala 507 - Edfício Venâncio II

CEP: 70393-000 - Brasília - DF - Brasil (061) 32265540 - Fax: (061) 3225 3409 crb@crbnacional.org.br

2018 - CRB Nacional.org.br

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?