Vera  Bombonatto

O Sínodo dos bispos, dedicado a contemplar a realidade dos jovens do mundo inteiro, realizado, em Roma, de 03 a 28 de outubro de 2018, despertou particular interesse em todas as etapas do processo sinodal de sua realização.   

 Como parte integrante deste processo, foi publicado o documento final da XV Assembleias geral ordinária intitulado Os jovens, a fé e o discernimento vocacional, Carta aos jovens. Trata-se de um documento relativamente breve, com 167 artigos, agrupados em três partes, mas, ao mesmo tempo é rico e abrangente em seu conteúdo e provocativo no seu estilo, dinâmico e envolvente.

Discípulos de Emaús

 A estrutura do documento apoia-se no episódio dos discípulos de Emaús (cf. Lc 24,13-35), considerado um texto paradigmático para compreender a missão eclesial relativamente às jovens gerações.

A primeira parte intitula-se: “Pôs-se a caminhar com eles”.  Apresenta a fisionomia da Igreja centrada na escuta e desejosa de dialogar com as jovens gerações. Os jovens desejam ser escutados na sua realidade concreta. Em meio a tantos desafios, o documento destaca três pontos cruciais que afetam a vida dos jovens: a novidade do ambiente digital, a realidade dos migrantes como paradigma do nosso tempo, o convite a reconhecer e a reagir a todo o tido de abuso que fere a dignidade do ser humano.  Aborda ainda o tema da identidade e as relações intergeracionais, salientando a família como principal ponto de referência, no contexto dos grandes desafios de ser jovem hoje.  

A segunda parte intitula-se “Os olhos deles se abriram”. Apresenta a juventude, período original e estimulante da vida, como um dom para a Igreja e para a sociedade. Chama a atenção para o mistério da vocação e consequentemente a missão de acompanhar os jovens nesta fase da vida. Considera o discernimento como uma arte.

 

A terceira parte intitula-se:  “Naquela mesma hora, voltaram”. Apresenta o aspecto da  sinodalidade missionária da Igreja. Uma Igreja que caminha, dia a dia, junto com os jovens, buscando um renovado impulso missionário. Para isso, a importância e a necessidade de uma formação integral

Juventude, fé e discernimento vocacional

O texto faz questão de explicitar a relação entre o Instrumentum laboris e o Documento final. O primeiro é o quadro de referência unitário e sintético que sobressaiu depois de dois anos de escuta; o segundo é o fruto do discernimento realizado e contém os núcleos temáticos generativos, sobre os quais os Padres sinodais se concentraram com particular intensidade e paixão. Portanto, reconhecemos a diversidade e a complementaridade destes dois textos.

Este Documento é oferecido ao Santo Padre e também à Igreja inteira como fruto deste Sínodo. Dado que o percurso sinodal ainda não terminou, prevendo-se uma fase de aplicação, o Documento final apresenta um roteiro para orientar os próximos passos que a Igreja é chamada a dar.

Três realidades anunciadas no título perpassam todo o documento: os jovens, a fé e o discernimento vocacional. O documento oferece um conteúdo atual e abrangente para a continuidade da nossa reflexão ao redor deste tema, pertinente e relevante para ta Igreja e para a sociedade.  

 

SDS Bloco H - nº 26 - Sala 507 - Edfício Venâncio II

CEP: 70393-000 - Brasília - DF - Brasil (061) 32265540 - Fax: (061) 3225 3409 crb@crbnacional.org.br

2018 - CRB Nacional.org.br

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?