Por Rosinha Martins| 14.01.15| Natural de Porto Rico, Beatriz Martínez Mariño, popularmente conhecida como Beatriz “Voz de Anjo”, é pós-doutora em Microbiologia pela Universidade da Califórnia – São Francisco e fez alguns estudos experimentais para o doutorado na Universidade de Duke, Carolina do Norte – EUA. De família católica, a cientista diz que foi uma experiência pessoal com Jesus  numa Adoração Eucarística em 2005 que  mudou os rumos da sua vida profissional, pois até então atuava na área da ciência.  Sua família composta pelo esposo e duas filhas, hoje se dedica ao ministério da música e a pregação da Palavra.

Em 2014, Beatriz sentiu-se movida pelo Espírito a compor uma canção em homenagem aos Religiosos e Religiosas do mundo inteiro por causa do Ano da Vida Consagrada, iniciativa do Papa Francisco.

Em entrevista exclusiva à Assessoria de Comunicação da CRB Nacional, Beatriz conta sua experiência como cientista, mãe e esposa, sua vocação laical  e, de maneira especial, fala sobre sobre a canção ‘Vida Consagrada’ que está sendo divulgada em todo o mundo. Ouça a canção

{mp3remote}http://www.crbnacional.org.br/site/images/audios/mp3 -Vida Consagrada_.mp3{/mp3remote} 

Entrevista com

   Beatriz Martínez Mariño 

  “Para mim os consagrados são pilares fundamentais da nossa Igreja”.

Qual é o seu nome completo?

Beatriz – Meu nome é  Beatriz Martínez Mariño mas me conhecem como      Beatriz  “Voz de Anjo”.

Onde nasceu e onde vive atualmente?

Beatriz – Nasci e vivo em Porto Rico.

Qual é a sua experiência religiosa? É católica? Poderia relatar um pouco sua experiência? 

Beatriz – Sim, sou católica e muito orgulhosa de sê-lo. Sou pregadora e compositora para a glória de Deus. Minha educação cristã começou muito cedo, já como “Proclamadora da Palavra” aos oito anos de idade e participando regularmente da Missa Televisionada que,  naquele tempo, era transmitida pelo canal 2 da Telemundo. Minha experiência no ministério da música começou em 1996 na Universidade de Duke, Carolina do Norte-EUA, onde participava de treinamento especializado em biologia molecular para completar meu doutorado em Microbilogia.  O chamado à pregação surgiu numa Adoração Eucarística em 2005, onde tive meu verdadeiro encontro pessoal com Jesus. Trabalhei como catequista, faço parte da Renovação Carismática Católica e sou assídua leitora da Bíblia e dos documentos publicados pela Santa Sé e, entre ouras, recebi formação da Escola de Evangelização Santo André.

Você é pós-doutora em Ciências, certo? Porque escolheu este curso? Se ocupa desta área?

Beatriz – Desde que me recordo, a ciência e a música sempre estiveram juntas na minha vida…como a fé. Desde tenra idade recebi educação formal em música, teatro, baile e bel canto, mas também me recordo brincar de médica e olhar através dos microscópios. Meus pais sempre me falaram sobre a importância dos estudos e o Senhor me concedeu a oportunidade de ter uma carreira universitária  e o campo da ciência especialmente a microbiologia  me chamaram a atenção. Atualmente não exerço minha profissão pois o Senhor tem outros planos para mim, mas fui professora auxiliar na Escola Universitária de Medicina de várias Instituições Universitárias de Porto Rico, assim como  investigadora e Diretora Associada de alguns projetos na área da saúde e biossegurança em Porto Rico.

Atualmente trabalha com quê?

Beatriz – Deixamos tudo para trabalhar a serviço de Deus. O Senhor me chamou a trabalhar na sua vinha levando a Boa Nova através da música e da pregação da Palavra. Recebo frequentes convites para participar em cursos, retiros, assembleias, palestras, concertos, círculos de oração, missas com oração de cura, bodas, exéquias e outros eventos religiosos coordenados por sacerdotes, consagrados (religiosos e religiosas) e diferentes movimentos e grupos apostólicos, tais como a Renovação Carismática Católica, o Movimento Internacional João XXIII, os Cursilhos de Cristandade, Legião de Maria, Terciários Carmelitas, Ordem Secular Franciscana, Associação Missionária Capuchinha, Pastoral Carcerária, Colégios Católicos, entre outros. Além disso participo frequentemente da programação do Canal 13, canal de televisão católico, de Porto Rico e faço o programa de rádio chamado, “Com fervor, evangelizando com a força do Espírito Santo”, transmitido todas as quartas das  8h ás 9h da noite pela Rádio Paz 810 AM, radioemissora da Arquidiocese de São João, Porto Rico.

 Você conhece o Brasil?

Beatriz – Não. Nunca tive a oportunidade de estar no Brasil. Seria maravilhoso visitar e ministrar no Brasil se estiver nos planos de Deus.

Em quais países já fez shows?

Beatriz – Não me considero artista nem cantora, me sinto serva…por isto o que fazemos para o Senhor é muito mais que um show ou concerto; ministramos música e levamos a Palavra viva e poderosa para que muitas almas se convertam o retornem ao Senhor.  Todavia, o Senhor nos levou a muitos países fora de Porto Rico, mas tivemos a oportunidade de evangelizar na Polônia e Estados Unidos.  Em ambos lugares, no Santuário da Misericórdia.  A música, que também evangeliza, se difundiu por diversa radioemissoras de toda América Latina assim como estações de rádio online.

Porque fazer uma canção dedicada à Vida Consagrada? De onde veio a inspiração?

Beatriz – A fonte de inspiração é o mesmo Espírito de Deus que por meses esteve inquietando  meu coração para compor essa canção. Já tinha  a melodia e algumas ideias sobre a canção mas,  foi em outubro de 2014 que me dei conta de que o Papa Francisco havia dedicado este ano (2015) à Vida Consagrada e então eu disse ao Senhor: “Ahhh, agora entendo porque queria que eu compusesse esta canção”…Então,  em 27 de outubro de 2014 o Espírito me manteve acordada toda a noite  lendo a carta “Alegrai-vos”, do Papa  Francisco e alguns fragmentos do Vitae Consecrata (João Paulo II) e Lumen Gentium (Concílio Vaticano II)  e os  objetivos do Ano da Vida Consagrada…e, então, nasceu a canção “Vida Consagrada”. Imediatamente pedi uma audiência com o nosso bispo, Monsenhor Daniel Fernández  para apresentar-lhe a canção e colocá-la à disposição da Diocese de Arecibo- PR. Dias depois o hino foi aceito pela Diocese e apresentado oficialmente em 19 de novembro durante a Festa de Nossa Padroeira Nacional, Maria Mãe da Divina Providência. Ali foi celebrada uma Eucaristia presidida por nosso Núncio Apostólico, Monsenhor Jude Thaddeus Okolo e tive a oportunidade de apresentá-lo a canção para que, em nome de Jesus, a faça chegar ao Papa Francisco. Orem, por favor, para que este desejo se torne realidade…

Trabalha com consagradas ou consagrados?

Beatriz – Não. Mas conheço muitos e muitas consagrada aos quais ano e respeito profundamente.

A Vida Consagrada te chama à atenção? Por que?

Beatriz – Respeito profundamente a todos os homens e mulheres que tem dedicado sua vida exclusivamente a Deus consagrando-lhe todo o seu coração, toda sua alma e todo o seu ser. Não há melhor forma de reciprocidade ao amor de Deus que entregar-se totalmente a Ele. .. Viver para Ele…servi-Lo…assemelhar-se a Ele. Eu procuro fazer o mesmo mas, a partir da vocação matrimonial. Bem o recorda o Papa Francisco “o matrimônio responde a uma vocação específica e deve ser considerada como uma consagração.(cf.Gaudium et spes 48;Familiaris Consortio,56). É uma consagração”.

O que você achou da ideia do  Papa Francisco  de dedicar um ano aos Consagrados/as?

Beatriz – Me parece muito acertada por parte do Papa Francisco a ideia de  dedicar este ano à Vida Consagrada, primeiro para que a Igreja e o mundo inteiro eleve suas orações e ação de graças por tantas vidas maravilhosas que diariamente e de maneira exclusiva se oferecem em amor e serviço a Deus e ao próximo

E segundo, para que, pondo em relevo a beleza e a riqueza da vida consagrada aceitem sem temor o convite que Deus mesmo lhes está fazendo para viver em plena comunhão com Ele e a serviço do seu Reino. ( “eu lhes asseguro que ninguém que tenham deixado em casa, mulher, irmãos, pais e filhos pelo Reino de Deus, ficará sem receber muito mais no presente, e no mundo vindouro, a vida eterna.” (Lc18,29).

Que mensagem você deixa aos Consagrados e Consagradas do Brasil

Beatriz – Primeiro de tudo, agradecer-lhes por seu sim, por sua fidelidade, por suas orações…Peço a Deus Pai, em nome de Jesus, que lhes abençoe, lhes fortaleça, lhes cuide e proteja e lhes encha do seu Espírito para que guiados por Ele alcancem a santidade e a plena comunhão com o Amor.

A sua canção “Vida Consagrada”  é muito profunda. Você fala da Vida Consagrada com uma intensidade e verdade. Por quê? 

Beatriz – Porque não vem de mim mesmo, mas do Espírito Santo que a inspira. Eu sou somente instrumento que docilmente e em obediência se deixa guiar…como diz a primeira Carta aos Corintios 2,10.12-13: “Porque a nós Deus se revelou por meio do Espírito; e o Espírito tudo sonda, até as profundidades de Deus. E nós outros não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que vem de Deus, para conhecer as graças que Deus nos tem outorgado, das quais também falamos, não com palavras aprendidas de sabedoria humana, mas do Espírito, expressando realidades espirituais”.

O que significou para você escrever uma canção como esta?

 Beatriz – Para mim foi uma bênção o Senhor inquietar meu coração para compor este hino como um presente a todos os consagrados e consagradas de Porto Rico e do mundo inteiro. Chorei de emoção ao receber o abraço e as expressões de gratidão de muitos sacerdotes, religiosos e religiosas que já ouviram esta canção e é uma emoção muito forte e imensa alegria saber que “Vida Consagrada” chegou até ao Brasil…para a glória de Deus! Quando você me disse que “Vida Consagrada” está sendo cantada e será cantada nos congressos da CRB, eu fiquei tão emocionada que comecei a chorar…e meu marido também.

Sobre sua família, se sente consagrada a Deus pelo matrimônio. Tem filhos? Se algum deles (delas) se sentisse chamado (a) à vida consagrada, como se sentiria?

Beatriz – O Senhor me chamou para a vida consagrada a partir do matrimônio e a família: nossa união, nossa casa,  nosso ministério, nossas filhas, nossas vidas, tudo consagrado a Jesus por Maria. No entanto, se o Senhor tivesse me chamado para dar meu coração em amor indiviso, eu teria dito sim. Quero acrescentar uma coisa: consagrei a Ele minhas duas filhas pequenas desde que estavam no meu ventre e, nada me faria mais feliz como mãe, que escutar, a partir da vontade de Deus, ao menos uma delas evocar o Cantar dos Cantares como Santa Teresa que “meu amado é para mim e eu sou para o meu amado”…

Quem é Papa Francisco para você?

Beatriz – Um pastor com cheiro de ovelha…um verdadeiro reflexo do amor misericordioso de Deus…

Que importância tem os consagrados e consagradas para você ?

Beatriz – Não posso responder a esta pregunta por  todos os leigos, mas para mim os consagrados são pilares fundamentais da nossa Igreja. Em um mundo tão autônomo de Deus, quantos anciãos, crianças, pobres, enfermos, desamparados, quantas almas necessitadas deixariam de experimentar o amor, o consolo, o gozo, a providência, a misericórdia de Deus se não fosse através do abraço, da palavra, do gesto, da oração, do cuidado de um consagrado, uma consagrada? Eles e elas são sinais visíveis do amor de Deus…luz de Cristo nas trevas.

Obs: Ao divulgar esta entrevista, favor citar a fonte.

 Entrevista e tradução do inglês e espanhol: Rosinha Martins, mscs

Fonte: CRB Nacional / Imagens cedidas de Beatriz à Assessoria de  Comunicação da CRB Nacional

 

SDS Bloco H - nº 26 - Sala 507 - Edfício Venâncio II

CEP: 70393-000 - Brasília - DF - Brasil (061) 32265540 - Fax: (061) 3225 3409 crb@crbnacional.org.br

2018 - CRB Nacional.org.br

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?