Campanha visa despertar consciência missionária

Rosinha Martins|18.09.13| Juventude em missão. Este é o tema da Campanha Missionária  apresentada na tarde desta quarta, 17, à Igreja e a sociedade pelas Pontifícias Obras Missionárias, na sede, em Brasília. O lançamento se deu por meio de uma Coletiva de Imprensa que contou com a presença dos meios de comunicação católicos do DF: TV e Rádio Canção Nova, CNBB, CRB e TV Século XXI. Fizeram parte da mesa o bispo de Ponta Grossa-PR, dom Sérgio Braschi, o diretor das Pontifícias Obras Missionárias, padre Camilo Pauletti e o diretor do Centro Cultural Missionário, padre Estevão Raschietti.

Dom Sérgio abriu a coletiva lembrando que a Igreja é por sua natureza missionária. É chamada a levar a todos a boa noticia da vida em Cristo, da misericórdia do Pai, da ressurreição como grande vitória de Cristo. “Esse dimensão missionária é cultivada no mês missionário e teremos oportunidade de conhecer o material da campanha que nos ajudam em todas as nossas comunidades, a intensificar sua formação missionária e também a aprofundar essa dimensão da vida cristã”, disse.

Recordou ainda, que  reflexão da Campanha sintoniza com o Congresso Missionário Americano e Latino-Americano (CAM 4 – Comla 9), a realizar-se na Venezuela no mês de novembro de 2013, ano em que se comemora os 170 anos de fundação da Obra da Infância Missionária (IAM).

Sobre o tema da Campanha,  “Juventude em Missão”, dom Sergio lembrou que este está em linha com a Campanha da Fraternidade 2013 e a Jornada Mundial da Juventude. O lema, “A quem eu te enviar, irás” (Jr 1, 7b), do profeta Jeremias, é direcionado ao jovem. “Não é a pessoa que escolhe, mas é uma chamada de Deus ao jovem profeta e ele então dizia: ‘eu sou muito jovem, não tenho condições’. São palavras que muitas vezes nós dizemos diante dum convite. Então vem a resposta de Deus: ‘A quem eu te enviar, irás’. Por isso é uma Campanha muito importante e entusiasmante por que vai direto aos corações dos jovens”, disse o bispo, para em seguida agradecer aos meios de comunicação pelo trabalho de divulgação.

O diretor das Pontifícias Obras, padre Camilo Pauletti, recordou que a Instituição tem a responsabilidade de organizar uma de suas atividades que é o mês missionário. “É um trabalho realizado junto com a Ação Missionária da CNBB, com a Comissão Episcopal da Amazônia e com outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional”, relatou.

Sobre os subsídios da campanha, padre Camilo lembrou que são feitos a partir de testemunhos de missionários e missionários espalhadas em missão no mundo, o que tem tido grande receptividade.

“O cartaz apresenta o globo e jovens a caminho. A missão nunca olha só ao redor da gente, mas para o mundo. Por isso, no Evangelho Jesus envia a todas as nações”, disse padre Camilo. “Fazemos os subsídios com destaque para os testemunhos que nos últimos anos tiveram maior recepção. É também uma forma de motivar para a consciência missionária que é o objetivo da Campanha, informar, promover, animar a nossa Igreja para que seja cada vez mais missionária”.

O livro da novena e o DVD, destacam o testemunho de jovens missionários em várias situações, no Brasil e além-fronteiras. “As páginas centrais do livrinho trazem a Mensagem do papa Francisco para o Dia Mundial das Missões, o penúltimo domingo de outubro (este ano dias 20). É uma oportunidade para os cristãos, de forma concreta, fazerem a sua oferta através do envelope, além de rezar e estar em sintonia com os missionários no mundo”, reforçou padre Camilo. O material pode ser baixado do site das POM.

O diretor do Centro Cultural Missionário, padre Estevão Raschietti, afirmou que a palavra missão abarca toda a ação da Igreja uma vez lembrada pelo Concílio que a Igreja é por sua natureza missionária. Ela faz parte da vocação cristã.

De acordo com padre Estevão, o mês das missões se três coisas importantes: A primeira delas é que existe uma missão que é mais difícil que as outras, devido às circunstâncias extremas, particularmente onde a Igreja não está presente. A missão ad gentes deve ser inspiração e modelo de atração, ponto de referência que nos diz especificamente o que é missão e que não podemos perder isso de vista.

Segundo ponto importante para ele, é que a missão nas comunidades cristãs não começa e termina na própria paróquia ou na própria diocese. “Cada comunidade, cada paróquia, tem a responsabilidade universal com toda a Igreja, com todos os povos.

Terceiro ponto para o qual o mês missionário chama a atenção, “é que a missão é uma consagração, um compromisso e convida a Igreja a rezar e  prestar a atenção a todos aqueles missionários e missionárias que realmente consagram a vida por uma missão difícil e além fronteira. É um mês para concentrar a atenção sobre essas realidades”.

Posts relacionados

Dehonianos em festa!

honianos Hoje, 12 de agosto, celebramos o falecimento de Padre João Leão Dehon (1843 – 1925), Fundador da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de

Leia mais »

O túmulo de um bispo

Aqui foi enterrado um santo profeta, que, até na morte, continua profetizando. Pedro Casaldáliga, “Anjo” da Igreja de São Félix do Araguaia. Santo Súbito! Do

Leia mais »